06/02/2018 13h30

Família diz que estuprador do carro branco voltou a agir por falta de remédios

Teria sido condenado por cinco estupros

Midiamax
 
 

Familiares de Douglas Igor Fernandes da Silva, de 38 anos, preso na última sexta-feira (2) apontado pela polícia como o suspeito de tentar estuprar uma adolescente de 15 anos, no Jardim Noroeste, em Campo Grande, acreditam que a falta de remédios pode ter feito com que Douglas voltasse a cometer o crime.

Ao Jornal Midiamax, os familiares contaram que quando estava cumprindo pena no Instituto Penal de Campo Grande, pelo crime de cinco estupros, ele recebia tratamento psicológico e médico, além de fazer o uso diariamente de medicação.

Mas, ao ser transferido para o semiaberto da Gameleira a medicação e acompanhamento médico foram suspensos, o que pode ter feito com que o suspeito voltasse a agir, segundo os familiares.

Douglas foi levado nesta terça-feira (6) até a Depca (Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente) para prestar depoimento e depois levado novamente para o presídio. A adolescente que foi vítima do suspeito também foi até a delegacia, onde fez o reconhecimento dele e saiu sem falar com a imprensa.

As vítimas escolhidas pelo suspeito sempre eram mulheres jovens com faixa etária entre 18 e 25 anos, segundo informações da polícia.

A prisão

Após denúncia anônima, policiais militares abordaram o suspeito na Rua Brilhante, próximo ao cruzamento com a Rua Salim Maluf, na Vila Bandeirantes, na última sexta-feira (2).

No momento que foi feita a abordagem de Douglas, o carro, um Celta branco, que possui as mesmas características do carro do vídeo, e que inclusive é de um familiar do suspeito, encontrava-se estacionado no lado de fora da Gameleira.

Foi feito o pedido de prisão preventiva junto ao judiciário e o suspeito foi levado para o presídio.

Envie seu Comentário