Golpista

Foragida engana idosos há mais de 20 anos, finge ser evangélica e usa remédios durante golpe, diz polícia

Investigação em MS aponta que anestésico que suspeita usa pode causar graves sequelas cerebrais e até levar as vítimas a morte.

20/06/2018 10h- G1MS

 
Polícia diz que golpista em MS coloca remédios na bebida de idosos para roubá-los (Foto: Polícia Civil/Divulgação)Polícia diz que golpista em MS coloca remédios na bebida de idosos para roubá-los (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

A Polícia Civil, após identificar novo roubo envolvendo Donata de Souza da Silva, de 59 anos, pediu a prisão da suspeita, que foi decretada pela Justiça. Além de enganar idosos há mais 20 anos, conforme a polícia, ela também usa remédios anestésicos na bebida das vítimas para roubar dinheiro, joias e objetos de valor que encontrar.

"A prática deste tipo de roubo é uma constante na vida dela. É uma pessoa carismática, que conversa bem. Na igreja, ela finge ser evangélica e se aproxima das pessoas. Na rua, consegue convencer os idosos a entrar na casa, geralmente pedindo um copo de água ou falando que vai fazer um descanso momentâneo", afirmou ao G1 o delegado Reginaldo Salomão, da Delegacia Especializada de Repressão à Roubos e Furtos (Derf).

Segundo Salomão, o anestésico que a suspeita usa pode causar graves sequelas cerebrais e até levar as vítimas a morte. "Ela já chegou a ser presa, porém por conta da política do não encarceramento de idosos, principalmente mulheres, logo ela foi solta. Desta vez, há um mandado judicial de prisão expedido contra ela", explicou.

 
Remédio foi usado em sorvete para dopar casal de idosos (Foto: Gabriela Pavão/ G1 MS) Remédio foi usado em sorvete para dopar casal de idosos (Foto: Gabriela Pavão/ G1 MS)

Remédio no sorvete

Há dois anos, ela foi detida em posse do medicamento, suspeita de dopar um casal de idosos no bairro Aero Rancho, região sul da capital. Questionada, a mulher confessou que colocou gotas antidepressivo no sorvete das vítimas de 74 e 77 anos. Neste caso, ela levou as alianças, dinheiro e celulares das vítimas.

"Ela [indiciada] é uma pessoa que conversa bem e se aproveita da boa vontade dos idosos. Durante o trajeto do ônibus ela usou nome da irmã pra se identificar e levantou informações da idosa", afirmou na ocasião o delegado Salomão.

Entenda o caso Donata, que é conhecida pela polícia como "Irmã Renata ou Maria Angela", já tinha sido identificada por crimes em 2016. Após colocar o remédio e entrar na casa das vítimas, ela coloca o remédio e os deixa sem possibilidade de agir. Além de levar os objetos de valor da casa, ela pega os cartões bancários e tenta conseguir as senhas. Quem souber do paradeiro dela, a polícia pede para que entrem em contato pelo 190 ou 3368 6600.

Ao chegar na casa, a suspeita pediu um copo de água e entrou no imóvel. Em seguida, as duas foram até um mercado próximo para comprar sorvete e voltaram para a casa das vítimas, onde a mulher aproveitou a distração do casal para colocar gotas do antidepressivo nas taças de sorvete.

 
Mulher confessou crimes, mas não quis falar com a imprensa (Foto: Gabriela Pavão/ G1 MS) Mulher confessou crimes, mas não quis falar com a imprensa (Foto: Gabriela Pavão/ G1 MS)

Envie seu Comentário