03/03/2018 06h

Galloro assume direção da PF e diz que Lava Jato continuará "forte"

Rogério Galloro tomou posse como novo chefe da PF nesta sexta (2). Para ele, futuro da instituição passa pela integração das unidades.

Congresso em Foco
 
 
Foto: Valter Campanato / Agência BrasilFoto: Valter Campanato / Agência Brasil

O novo diretor-geral da Polícia Federal (PF), Rogério Galloro, disse nesta sexta-feira (2) que a Operação Lava Jato continuará "forte". Ao discursar durante a cerimônia de posse no cargo, Galloro disse que sua gestão vai valorizar os servidores e aprofundar a integração das unidades. Galloro assume a direção da PF no lugar de Fernando Segóvia, que ficou cerca de três meses no cargo após a saída de Leandro Daiello, no fim de novembro.

O novo diretor da PF afirmou que a equipe responsável pela Operação Lava Jato continuará "íntegra" e reafirmou o compromisso assumido pelo ministro extrordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, de reforçar o time.

"As conquistas dos últimos anos são marcantes para a PF e indeléveis para a história da instituição. Essa responsabilidade só será respeitada com dedicação, fidelidade constitucional e coragem", disse o novo diretor.

Jungmann demitiu Fernando Segóvia na terça-feira (27), após o desgaste crescente do ex-diretor da PF nos últimos meses. Segóvia deu declarações polêmicas – entre elas a que transparece como defesa da inocência do presidente Michel Temer (MDB) no caso do Decreto dos Portos, em que o emedebista é acusado de assinar o instrumento legal para beneficiar empresas do setor portuário em troca de propina. O então diretor-geral da PF também fez críticas ao trabalho do delegado Cleyber Malta Lopes, responsável pelo caso, afirmando que Lopes poderia ser repreendido ou suspenso pela conduta adotada em relação a Temer.

Futuro

O aprofundamento da integração das unidades da PF e a valorização dos servidores do órgão são a base do futuro da PF para o novo diretor, que afirma serem elas a "condição basilar" para a instituição. "O crime não é mais forte do que o Estado brasileiro. Iniciei minha carreira em uma unidade descentralizadas em São Paulo. Elas devem ser objeto de nossa dedicação, porque é lá que entendemos estar o desafio de ser da Polícia Federal", ressaltou Galloro, após citar uma frase atribuída ao líder sul africano Nelson Mandella: "Coragem não é falta de medo, mas triunfo sobre ele".

Indicações

Na gestão de Galloro, a Diretoria-Executiva será ocupada por Silvana Helena Borges; o diretor de Combate ao Crime Organizado será Elzio Vicente da Silva; a Diretoria de Inteligência Policial (DIP) ficará a cargo de Umberto Ramos Rodrigues. A Diretoria de Gestão de Pessoal terá no comando Delano Bunn, e a Diretoria de Logística, Fabricio Kelmer.

Envie seu Comentário