13/03/2018 11h20

Ponta Porã: Força Tarefa da policia civil intensificam os trabalhos na fronteira

"Várias linhas de investigações estão sendo desenvolvidas para chegar aos autores do crime", disse Delegado Clemir Vieira Júnior.

Por: Tião Prado
 
 
Reportagem de O PROGRESSO a falar com o Delegado Regional da Polícia Civil, Clemir Vieira Júnior, sobre a situação. (Foto: Eder Rubens)Reportagem de O PROGRESSO a falar com o Delegado Regional da Polícia Civil, Clemir Vieira Júnior, sobre a situação. (Foto: Eder Rubens)

A reportagem do site Pontaporainforma conversou na manhã desta terça-feira (13), com o delegado Regional de Policia Civil, Dr. Clemir Vieira Júnior, a respeito do andamento das investigações para encontrar os autores do brutal assassinato do policial Civil Wescley Vasconcelos, de 37 anos, assassinado com 30 tiros de fuzil, no ultimo dia 6 de março em Ponta Porã, Mato Grosso do Sul, próximo da fronteira com o Paraguai.

Dr. Clemir informou que ficou responsável por passar as informações para a imprensa que procura a delegacia e até o momento, o trabalho que está sendo realizado é muito forte. O Dr. Márcio Obara, de Campo Grande está chefiando a força tarefa que não está medindo esforços para desvendar esse crime e prender os autores.

Hoje na fronteira estão presentes policiais do Garras, Delegacia de Homicídios, GOE, Defron, BOPE, GAECO e o DOF, que sempre esta presente na fronteira, mas depois do crime, intensificou a sua presença na fronteira com mais homens e armamentos.

Questionamos o Dr. Clemir a respeito da ação realizada sábado, dia 10, no bairro Residencial Ponta Porã I, quando na operação, Roney Marques de Souza ficou e foi encaminhado para o Hospital Regional, vindo a falecer na madrugada desta segunda-feira (12). Na ação, Klebinho foi morto dentro da delegacia e Joaquim Vinicius Miranda Borges, de 24 anos continua preso.

O delegado informou que a ação foi fruto do trabalho de investigação das equipes que estão na cidade,sendo descoberto que naquela casa estavam homens fortemente armados e que seria necessária a presença da policia. Com a ação das forças policiais, aconteceu a reação dos homens que resultou em duas mortes, porem todos os fatos foram apresentados a imprensa e amplamente divulgado.

As armas apreendidas na operação, sendo uma pistola 9 mm, um fuzil AK 47 e farta munição, de acordo com o delegado, serão periciadas para saber se elas foram usadas na emboscada e assassinato do policial Civil, só então estarão divulgando maiores informações sobre o assunto.

O delegado Clemir Vieira Martins fez questão de salientar que esta sendo feito um grande esforço para se chegar aos autores do crime contra o policial Civil Wescley Vasconcelos, onde a Força Tarefa está realizando um trabalho muito sério, e no momento em que tudo estiver concluído será convocado uma entrevista coletiva para apresentar os resultados finais.

Nessa terça-feira, dia 13, será realizada a missa de 7º dia em intenção à alma de Wescley Vasconcelos, que será celebrada hoje as 19 horas na cidade de Dourados. O delegado informou que vários companheiros do policial vão estar presente, prestando mais essa homenagem ao policial.

 
Foto: Léo Veras - PoranewsFoto: Léo Veras - Poranews

Envie seu Comentário