28/02/2018 06h30

Traficante de armas enviava produtos ao Brasil desde 2013

Traficante de armas teria entrado em contato com transportadora para queimar arquivo.

G1
 
 
Armas foram apreendidas em depósito (Foto: Divulgação)

A Justiça americana divulgou nesta terça-feira (27) documentos com detalhes da investigação que levou a prisão de Frederick Barbieri, preso no sábado (24) pelo Serviço de Imigração e Alfândegas dos Estados Unidos (ICE). Segundo investigadores, ele mandava remessas de eletrônicos para o Brasil desde maio de 2013 - os produtos podem ter usado para camuflar armas, como foi feito com os 60 fuzis apreendidos no Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio, em junho, que estavam em aquecedores.

O Fantástico deste domingo revelou que os agentes americanos chegaram a Barbieri rastreando os aquecedores usados para mandar as armas do Galeão.

Nesta terça, os documentos judiciais mostrara que, em quatro anos, Barbieri utilizou a transportadora NB Enterprises para enviar itens para o Brasil. Os registros revelam que 520 motores elétricos, 124 aquecedores de água, 15 unidades de ar condicionado e 1,2 mil luzes de LED foram enviados. Além disso, a empresa Alpha International foi usada para enviar cerca de 32 aquecedores de água e 100 motores elétricos para o Brasil de 11 de junho de 2016 a 19 de maio de 2017.

 
Frank Barbieri enviou carga de fuzis apreendida no Rio (Foto: Reprodução)Frank Barbieri enviou carga de fuzis apreendida no Rio (Foto: Reprodução)

O representante da NB Enterprises informou à Corte americana que nem o réu, nem seu genro, Felipe Barbieri, declararam que qualquer encomenda havia armas de fogo e munições.

Ainda de acordo com os documentos da Justiça, um representante da NB Enterprises contou à polícia que o réu, Frederick Barbieri, entrou em contato com ele no dia 2 de junho de 2017, dia seguinte à apreensão das armas de fogo no Brasil, para se informar sobre o "status" do envio.

Durante a ligação, o réu pediu para que a empresa destruísse a documentação de envio associada à encomenda do dia 26 de maio de 2017. Após uma solicitação da Justiça, a NB Enterprises fez uma ligação gravada ao réu, onde ele repete as instruções para a queima de arquivo.

O documento divulgado nesta terça-feira (27) destaca ainda a discrepância entre os valores das armas adquiridas nos Estados Unidos e através do mercado negro brasileiro. Os rifles AK-47 e AR-15 têm um valor aproximado de US $ 15 mil a US $ 20 mil no mercado negro no Brasil. No entanto, o custo de varejo dessas armas de fogo nos Estados Unidos é de aproximadamente US $ 700 a US $ 1 mil.

As autoridades americanas também apresentaram uma foto de 52 fuzis apreendidos em um depósito de Barbieri nos EUA.

Barbieri, que tinha cancelado sua participação em uma audiência judicial na segunda-feira por motivos de saúde, esteve na corte nesta terça.

Ele teve seus direitos lidos por uma Juiza e afirmou que ia pedir fiança. Uma nova audiência foi marcada para quinta-feira (1), às 10h.

Envie seu Comentário