24/02/2018 06h40

Estado realiza mais de 500 obras nos municípios, destaca secretário de Infraestrutura

Esses investimentos ocorrem em permanente interlocução com as prefeituras e câmaras municipais.

Portal do MS
 
 

Com um saldo de mais de 500 obras executadas, o secretário de Estado de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, destacou a forma municipalista que o governador Reinaldo Azambuja conduz a gestão estadual. "O Governo de Mato Grosso do Sul, através de uma gestão municipalista e que privilegia as parcerias, consegue entregar mais de 500 obras, atendendo a população e todos os 79 municípios", garantiu ao proferir palestra no Seminário da União dos Vereadores, realizado na sede da Associação dos Notários e Registradores (Anoreg), em Campo Grande.

Miglioli disse que realizar obras significa gerar empregos, movimentar a economia e construir bases para o progresso e uma vida melhor, assinalando que somente no ano e 2017 foram aplicados R$ 1,6 bilhão em infraestrutura nos 79 municípios.

Esses investimentos ocorrem em permanente interlocução com as prefeituras e câmaras municipais "para atendermos as reais necessidades da população de cada município, aplicando melhor o dinheiro disponível naquilo que realmente é prioridade para as pessoas".

 

O titular da Seinfra ainda falou que o governador Reinaldo Azambuja implantou uma nova forma de fazer política, assinalando que a transparência dos atos públicos foi o primeiro passo. De uma nota 1,4, em 2015, o Portal evoluiu para a nota 10 em 2016 e 2017, um avanço de 740%, conforme atestado pelas 16 instituições que formam a Rede de Controle da Gestão Pública de MS – Advocacia Geral da União; Controladoria Geral da União; Ministério Público Estadual; Polícia Federal e Tribunal de Contas da União, dentre outras.

Na parceria com a bancada federal, o Governo do Estado dobrou os investimentos das emendas que beneficiaram os municípios. "Para cada real aplicado através de emenda, o Governo colocou mais um real, dobrando os benefícios para a população residente nos municípios atendidos". Também ressaltou que "Reinaldo Azambuja foi prefeito e conhece as dificuldades", lembrando que todos municípios recebem obras e serviços do Governo de MS, sem nenhuma discriminação.

"A obra que dá mais prejuízo é aquela que não termina", afirmou Marcelo Miglioli, ao falar do primeiro programa lançado pelo atual Governo, o Obra Inacabada Zero – que já concluiu 97% das obras inacabadas – investindo R$ 734,8 milhões, em 208 empreendimentos espalhados em mais de 36 municípios.

 

O secretário mencionou a pavimentação da MS-460, a Estrada da Água Fria (paralisada há mais de uma década), a retomada do Hospital do Trauma (parado há 20 anos) e o término da sede da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems) de Campo Grande, obra semiacabada.

Regionalização

A política de gestão comprometida com os municípios pode ser vista na Caravana da Saúde, realizada no início da administração para atender uma demanda reprimida no setor de saúde. Foram realizados 500 mil procedimentos médicos e mais de 28 mil cirurgias em 80% dos municípios do Estado.

Superada a fase inicial, Miglioli disse que foi iniciado um grande programa de regionalização da saúde com investimentos nos hospitais do Câncer e do Trauma, em Campo Grande; modernização e novo modelo de administração no Hospital Regional de Ponta Porã; e construção dos hospitais regionais de Três Lagoas e Dourados. "Tudo para aproximar a assistência das pessoas que moram nos municípios", observou.

Apesar do corte dos recursos para a construção de moradias, o Governo do Estado já assegurou teto para 12.160 famílias que receberam 11.762 habitações e 454 lotes urbanizados. Os lotes foram classificados pelo secretário como uma iniciativa "inteligente e criativa que une forças do Estado, das prefeituras e da população".

O programa atende famílias com renda de até R$ 4,6 mil. A prefeitura doa o terreno com infraestrutura básica (água, energia, arruamento e iluminação pública). O Estado constrói a fundação, instalações hidráulicas e sanitárias, contrapiso e primeira fiada em alvenaria e a família beneficiada entra com a mão de obra e a compra do material restante. "Vantagem principal: quando a casa está pronta não há 20 anos de prestação para pagar", assinalou, recomendando as prefeituras e a aderirem ao programa.

 

Citando o ministro da Saúde, Ricardo Barros, o secretário da Seinfra afirmou que segundo os novos cálculos da Organização Mundial de Saúde (OMS) para cada R$ 1,00 investido em saneamento, economiza-se R$ 9,00 em saúde. Por isso, o Governo de MS vai investir R$ 1 bilhão até o final de 2018 em sistemas de água potável e de coleta e tratamento de esgoto.

"São 234 obras em 68 municípios e 55 distritos, compondo 2,9 mil km de redes coletoras de esgoto, 49 poços tubulares profundos e 56 reservatórios, dentre outros serviços.

Transportes

A parceria com as prefeituras e câmaras municipais acontece de forma clara na realização de obras de recapeamento de vias estruturantes nas cidades, serviço que diminui custos de manutenção da malha viária e permite às prefeituras realizarem maiores investimentos nos bairros, sem contar que gera mais segurança e fluidez no tráfego. Miglioli disse que até 2016 era impossível os parlamentares concretizarem emendas para recape de vias.

Outra estratégia de Governo é a construção de pontes de concreto, uma vez que as pontes de madeira não suportam o volume de trânsito de caminhões e geram alto custo de manutenção. O Estado tem 95 pontes programadas: 53 prontas, 12 em execução, 14 em execução de projeto e 16 em licitação. Também foram implantados cinco mil quilômetros de rodovias vicinais estaduais, assegurando o escoamento da produção e o ir e vir das pessoas em todas as épocas do ano.

Envie seu Comentário