20/02/2018 14h55

Feira Central pode ser reconhecida como Patrimônio Imaterial pelo Iphan

Decisão dependerá de análise técnica do Instituto

Midiamax
 

A Feira Central de Campo Grande poderá ser considerada Patrimônio Imaterial Brasileiro. Isso caso o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) defira o requerimento apresentado nesta semana, em Brasília, pelo Prefeito Marquinhos Trad (PSD), secretário de Cultura do Estado, Athayde Nery, pela presidente da associação da Feira Central, Alvira Appel Melo e pelo vereador João César Mattogrosso (PSDB). Na ocasião, também foi apresentado um documentário sobre a história da feira e de seus personagens.

Agora, caberá aos técnicos do Iphan que virão à Capital a análise da possibilidade de reconhecimento da feira como patrimônio. Caso reconhecida, a feira será a primeira no Centro Oeste com essa classificação.

"Campo Grande estará em destaque nacional. Isso atrai turismo, divulga a nossa região, promove desenvolvimento. Só duas feiras no País têm este reconhecimento, que leva tempo, mas já salvaguarda o patrimônio", afirmou, via assessoria, a presidente da associação.

(Com informações da assessoria)

Envie seu Comentário