16/04/2018 07h10

Governo do Estado dá oportunidade a mais 600 jovens de realizarem o sonho de cursar a faculdade

O governador afirmou que para o desenvolvimento de qualquer país é preciso que se invista na educação.

Portal do MS
 

Com as assinaturas dos termos de compromisso com os alunos, em solenidade realizada na semana passada, o Governo do Estado deu início à realização do sonho de cursar uma faculdade a mais 600 jovens inscritos no Programa Vale Universidade (PVU). "No início do nosso Governo ampliamos o número de beneficiários do Vale Universidade, para possibilitar o acesso ao curso superior a mais jovens e para que assim eles possam ter a oportunidade de crescer socialmente", afirmou o governador Reinaldo Azambuja, durante ato na Escola do SUAS Marluce Bittar, na Capital.

O governador afirmou que para o desenvolvimento de qualquer país é preciso que se invista na educação, na formação profissional dos jovens. "Mato Grosso do Sul é um dos estados que melhor paga os seus professores, mas não basta isso, não basta ter uma grande estrutura de ensino, é preciso dar a melhor formação aos professores e criar condições para que os jovens façam um curso superior", destacou. O governo estadual investe R$ 15 milhões por ano no PVU.

 
Governador assina o termo para a ampliação de mais 600 jovens inscritos no Programa Vale Universidade (PVU).Foto: Edemir RodriguesGovernador assina o termo para a ampliação de mais 600 jovens inscritos no Programa Vale Universidade (PVU).Foto: Edemir Rodrigues

Falando em nome das universidades públicas e privadas que participam do Programa Vale Universidade, o reitor da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), padre Ricardo Carlos, agradeceu Reinaldo Azambuja pelo investimento no Vale Universidade. "Apenas 17% dos jovens de 18 a 22 anos estão na educação superior no Brasil, então, essa iniciativa faz com que a gente possa continuar acreditando na nossa sociedade", destacou o reitor.

Ainda falando da importância do Programa, padre Ricardo Carlos frisou: "Oferecer uma oportunidade como essa é acreditar que estamos formando pessoas para a vida, pessoas que possam contribuir com o seu conhecimento, com a sua pesquisa, para uma sociedade melhor". Ao final da sua fala, o reitor da UCDB disse aos beneficiários do PVU para que não desperdicem a oportunidade que o Governo do Estado está dando para que façam um curso superior.

E a jovem aprendiz Pâmela da Silveira Cabral não perdeu a oportunidade. Ao saber do PVU por uma amiga que cursa Direito, não perdeu tempo e se inscreveu. "Fiquei tão feliz em ser chamada, sem o Vale Universidade não teria condições de fazer o curso de Psicologia", comentou, antes de subir ao palco durante o evento na Escola do SUAS para falar em nome dos 450 beneficiários de Campo Grande (outros 150 beneficiários são jovens de municípios do interior).

 
A jovem aprendiz Pâmela da Silveira Cabral não perdeu a oportunidade.Foto: Edemir RodriguesA jovem aprendiz Pâmela da Silveira Cabral não perdeu a oportunidade.Foto: Edemir Rodrigues

Filha de servidor público e de dona de casa, Pâmela conta que decidiu fazer Psicologia após passar por um drama familiar. A irmã de 11 anos começou a apresentar problemas e passou a fazer tratamento com psicólogo. "Descobri que me formando em Psicologia poderei ajudar muitas pessoas", afirmou a adolescente de 17 anos.

Tanto o Vale Universidade quanto o Vale Universidade Indígena foram instituídos pela lei nº. 3.783, de 16 de novembro de 2009. Já no início do Governo Reinaldo Azambuja as vagas do Vale Universidade foram ampliadas de 1,5 mil para dois mil no ano e o Vale Universidade Indígena fio reformulado em 2017 passando de R$ 380,00 para R$ 684,35.

Pelo programa, o Governo do Estado banca 70% da mensalidade da faculdade, as universidades 20% e o acadêmico com 10%. Como contrapartida, ele presta serviço em algum órgão público, na sua área de formação, e em horário distinto do curso.

Envie seu Comentário