20/02/2018 14h45

Moka e Simone são favoráveis à intervenção no RJ e chamam atenção para fronteira em MS

Senado vota decreto nesta terça-feira

Midiamax
 

Os senadores sul-mato-grossenses pelo MDB, Waldemir Moka e Simone Tebet, anunciaram que votarão favoráveis ao decreto presidencial que autorizou intervenção federal no Rio de Janeiro, e prometem chamar a atenção para a questão da segurança na extensa faixa de fronteira em Mato Grosso do Sul.

"Sabemos que as favelas das grandes metrópoles recebem drogas e armas que vêm das fronteiras do Brasil, por isso, vamos buscar o compromisso do Executivo para fortalecer a fronteira com a real implantação da Política Nacional de Segurança Pública", declarou Simone.

Para Moka, a intervenção federal é um preciso diante do estado atual da segurança pública no Rio de janeiro. Ele espera aproveitar a oportunidade para ‘inserir’ Mato Grosso do Sul na pauta, colocando a necessidade, por exemplo, de aumentar o número de policiais federais e rodoviários federais na fronteira com Paraguai e Bolívia.

Simone classificou a intervenção federa como ‘mal necessário’, e destacou que as Forças Armadas tem obrigação constitucional de proteger as fronteiras do país. "Não adianta estar só nas grandes metrópoles", argumentou.

Seu colega de bancada, argumenta ainda que segurança pública e saúde são dois dos itens mais cobrados pela população. "É importante reforçar e aprofundar essa discussão. Sou favorável à intervenção, mas quero chamar a atenção para o meu Estado", disse Moka.

O senador Pedro Chaves (PRB-MS) foi procurado pela reportagem para antecipar seu voto, mas não atendeu as ligações.

O Senado vota na sessão desta terça-feira (20) o decreto do presidente Michel Temer (MDB)-SP) que autoriza a intervenção federal no RJ, já em vigor desde a última sexta-feira (16), e já aprovado pela Câmara dos Deputados na madrugada de hoje.

Envie seu Comentário