17/03/2018 13h20

MPMS busca apoio para implementar a delegacia da Mulher em Maracaju

Violência contra a Mulher

mpms
 
 
Fotos: Câmara de MaracajuFotos: Câmara de Maracaju

Representando as Mulheres do Município de Maracaju, a Promotora de Justiça Simone Almada Góes; a Primeira-Dama do Município Leila Gonçalves Azambuja e a Presidente da OAB Nely Ratier Placência, reivindicaram, nesta última quarta-feira (14/3), o apoio da Câmara Municipal para a implantação e efetivação de uma Delegacia Especializada no Atendimento da Mulher na cidade.

Durante a Sessão no Plenário da Casa de Leis, a Promotora de Justiça Simone Almada Góes usou a Tribuna para ressaltar a importância da Implantação da Delegacia. "Temos observado que nossos policiais se desdobram diante das demandas, sem dizer que a cidade está em crescimento. Existem mulheres que sofrem caladas e não se manifestam. Para que todos possam ter uma ideia, somente no ano passado, foram registrados cerca de 300 casos e, neste ano de 2018, estamos em março ainda e já são mais de 60 casos registrados, isso sem contar que a nossa cidade está em crescimento" pontou.

Os vereadores se demonstraram sensibilizados pela causa e apoiaram publicamente a implantação da Delegacia da Mulher na cidade, afirmando que vão entrar em contato com deputados aliados e irão agendar reunião com o Governador Reinaldo Azambuja, a fim de levar o assunto à frente, visando à efetivação desse projeto, que é uma demanda antiga da sociedade e que os números atuais reforçam ainda mais a importância do mesmo.

Para o presidente da Casa de Leis Hélio Albarello, esta inciativa é mais uma demonstração de coragem dessas guerreiras mulheres que, em busca de seus ideais ajudam todas outras, e que elas podem sim, contar sempre com apoio dos vereadores, não só na conquista da delegacia da mulher, mais em todas as ações que beneficiem a sociedade e as mulheres.

A Primeira-dama do Município Leila Gonçalves Azambuja afirmou que "A criação da delegacia é um passo importante para toda a nossa comunidade, e principalmente para as mulheres vítimas de violência, precisamos dar um fim, não podemos conviver com isso, é difícil para a mulher vítima expor suas intimidades para um policial homem, se for um atendimento de mulher para mulher é uma situação totalmente diferente, os números mostram onde tem delegacia da mulher os números de violência contra a mulher diminuiu".

A inciativa também contou com o apoio da OAB, (Ordem dos Advogados do Brasil), da Defensoria Pública do Estado e Conselho Municipal dos Direitos da Mulher.

Envie seu Comentário