07/03/2018 06h40

Obra do Governo na entrada de Itaporã deve durar mais de 10 anos sem manutenção

Projetada para receber um intenso fluxo de veículos pesados, o trecho é rota que liga o Sul do País ao Pantanal.

Portal do MS
 
 
Fotos: Edemir Rodrigues e AgesulFotos: Edemir Rodrigues e Agesul

Em ritmo acelerado de execução, as obras na entrada do município de Itaporã, trechos das rodovias MS-156 e MS-157, chamam a atenção de quem passa pelo local. Projetada para receber um intenso fluxo de veículos pesados, o trecho é rota que liga o Sul do País ao Pantanal, e está sendo executada para durar no mínimo 10 anos sem manutenção, informou o fiscal da obra da Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul), Raimundo Nonato.

Segundo ele, rodovias que recebem intenso fluxo de veículos pesados devem ser bem construídas para suportar o peso e não demandar uma manutenção precoce. Outra particularidade desse percurso é o lençol freático aflorado. "Nesta obra estão sendo utilizadas algumas camadas. Nós retiramos o solo mole e o substituímos por pedra rachão que forma um colchão drenante no leito. Por cima utilizamos uma manta e por cima dessa manta outra camada de pedra de 20 cm de espessura. A manta vai funcionar como uma espécie de filtro e isso vai evitar que se formem os ‘borrachudos’ na rodovia", explica.

Para o secretário de Estado de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, que visitou a obra na semana passada, com a qualidade da obra que está em execução, o problema da rodovia será resolvido definitivamente. "Estamos realizando um serviço de reconstrução dessa rodovia e entendemos que vamos definitivamente resolver o problema, que sempre foi crônico para Itaporã. Era um via que já estava completamente deteriorada e que colocava em risco a vida das pessoas", pontua.

 
Foi retirado o solo mole e substituído por pedra rachão que formará um colchão drenante no leito. Por cima será utilizado uma manta e por cima dela outra camada de pedra de 20 cm de espessura. Fotos: Edemir Rodrigues e AgesulFoi retirado o solo mole e substituído por pedra rachão que formará um colchão drenante no leito. Por cima será utilizado uma manta e por cima dela outra camada de pedra de 20 cm de espessura.
Fotos: Edemir Rodrigues e Agesul

Segundo o prefeito, Marcos Pacco, houveram várias tentativas de se consertar a rodovia, que sempre acabava afundando. "Então era um transtorno muito grande para a população e para as pessoas que passavam e um problema que enfrentamos por muito tempo. Lutamos muito para conseguir que essa reconstrução acontecesse e já trouxemos alguns engenheiros aqui que dizem que o serviço a ser feito é exatamente esse e que é de qualidade. Essa será sem dúvida umas das obras mais importante para a cidade", conclui.

Realizada com recursos próprios do Governo, pelo Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário do Estado do Mato Grosso do Sul (Fundersul), a revitalização deste trecho da MS-156 e MS-157, vai receber investimentos da ordem de R$ 7.132.505,93. A previsão de entrega é o final de maio de 2018.

Envie seu Comentário