Segundo turno

Presidente do PSL no estado visitou Ponta Porã e agradeceu os votos em Bolsonaro

Rodolfo Nogueira disse "Agora a nossa luta é o bem contra o mal, as pessoas tem que entender que a nossa luta é pelo Brasil".

10/10/2018 10h05 - Por: Tião Prado

 

O Presidente do PSL no Mato Grosso do Sul, Rodolfo Nogueira, acompanhado do secretário do partido em Ponta Porã, sr Kaiser, estiveram visitando o site Pontaporainforma onde falou a respeito das eleições 2018, das conquistas do partido, das dificuldades da campanha do primeiro turno e de como será conduzido o processo neste segundo turno.

Rodolfo primeiramente fez um agradecimento a todos os eleitores do estado e, em especial, aos eleitores da fronteira, principalmente aos da cidade de Ponta Porã, que deu uma votação expressiva ao candidato do partido, Jair Bolsonaro neste primeiro turno, e aos candidatos ao senado, aos deputados federais e deputados estaduais.

"Nós tivemos muitos problemas durante as votações, e esse foi o fator que me deixou mais preocupado, e foram problemas nas urnas do estado inteiro. Tivemos muitas denúncias, ocorrências, muitas foram feitas em atas, outras não, então a nossa maior preocupação agora é com esse problema em que não saía a foto do Bolsonaro e os que encerravam a votação antes de confirmar para presidente, então isso tudo configura indícios de alguma coisa errada, porque eu nunca vi em outra eleição aparecer a foto errada, então essa é a nossa preocupação e o resumo do primeiro turno é esse", disse Rodolfo Nogueira.

Com relação aos candidatos que elegeram e tiveram um diferencial, que foi a expressiva votação, Nogueira fez questão de frisar "A tal coligação tão rejeitada e tão criticada que foi feita no estado, pensando nos quocientes eleitorais, provou que a gente estava certo em fazer essa coligação porque elegemos dois deputados federais e os dois estaduais sendo os mais votados, o capitão Contar e o Cel. Davi e a senadora Soraya, mas o mais importante em tudo isso foi a transferência de votos do candidato Bolsonaro para os nossos candidatos e o grande vitorioso no estado foi Jair Bolsonaro com quase 60 % dos votos".

 
Rodolfo e Bolsonaro em evento na cidade de Dourados. Foto: facebookRodolfo e Bolsonaro em evento na cidade de Dourados.
Foto: facebook

Ainda no primeiro turno da eleição, o candidato a governador Reinaldo Azambuja, nas suas reuniões, pedia para os seus eleitores para votar ou no Alkmin ou no Jair Bolsonaro, porque o seu partido estava coligado com PSL na proporcional, e agora no segundo turno, Azambuja já se colocou na linha de frente da campanha de Bolsonaro no Estado, qual vai o caminho do PSL neste segundo turno das eleições.

Rodolfo Nogueira lbrou que o único candidato ao governo do estado que falou o nome de Bolsonaro e pediu votos para ele foi o Reinaldo Azambuja. "Nós tínhamos uma coligação na chapinha ligado a ele, e a gente entende que ele tinha que apoiar o candidato de seu partido, o Alkmin. Estamos em conversação com o Reinaldo, mas nós dependemos da executiva nacional para fecharmos esse acordo no segundo turno, e nada que a gente faz é contra a executiva nacional ou o interesse maior do partido", concluiu.

O presidente do PSL Rodolfo Nogueira, teve um problema sério com a então candidata ao senado e agora senadora eleita Soraya Thronicke. Ela chegou a ir a uma delegacia de policia registrar uma queixa crime contra Rodolfo e passou a usar colete a prova de balas com medo de um atentado. a reportagem procurou saber como está e como vai ficar essa situação, já que agora, Rodolfo é o primeiro suplente de Soraya no senado da Republica. Rodolfo disse que o problema esta resolvido e que foi um grande mal entendido. "Eu acho o que interessa agora é a eleição do nosso presidente Jair Bolsonaro, somar forças para que neste segundo turno a gente aumente esse percentual e as pessoas se sensibilize que Brasil realmente precisa de uma mudança e que realmente agora não é mais questão de partido ou de pessoas, agora nossa luta é o bem contra o mal, as pessoas tem que entender que a nossa luta é pelo Brasil, a união de todos é muito importante, ", concluiu.

Ouça abaixo o audio completo da entrevista:

Envie seu Comentário