Remoção

TSE quer pacto com Google e Facebook contra fake news

Iniciativa é similar a acordo de colaboração acertado entre a Corte Eleitoral e dez partidos políticos para a "manutenção de um ambiente eleitoral imune

20/06/2018 08h50- Estadão

 
Vista do prédio do TSE em Brasília (Foto: Divulgação )Vista do prédio do TSE em Brasília (Foto: Divulgação )

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) quer firmar um pacto com empresas de tecnologia contra a proliferação de fake news. A iniciativa é similar a um acordo de colaboração acertado entre a Corte Eleitoral e dez partidos políticos para a "manutenção de um ambiente eleitoral imune de disseminação de notícias falsas".

No entanto, a decisão do ministro Sérgio Banhos, do TSE, de determinar a remoção de fake news contra Marina Silva acendeu a "luz amarela" em parte do setor que prefere aguardar uma resolução sobre o tema antes de decidir se topa um pacto com o tribunal.

Uma preocupação de quem acompanha as conversas é que as firmas sejam usadas como instrumento para pavimentar um caminho intervencionista.

Procurado pela reportagem, o TSE informou que o termo vai ser assinado com Facebook e Google, que já atuam em parceria com a Justiça Eleitoral. A Corte aguarda resposta de outras plataformas.

Envie seu Comentário