23/12/2015 05h50

Jornal e educação por R. Ney Magalhães

E por comentar passagens e fatos elogiáveis contrastando a outros até ultrajantes sobre Educação e Cultura deste nosso MS ainda bastante jovem

Divulgação (TP)
 
 

Ainda criança, como office-boy no Cartório Santos Pereira de Registros de Imóveis de Ponta Porã conheci e passei a admirar o Advogado nordestino Dr. José dos Passos Rangel Torres, não só pelas “gorjetas” que recebia no trabalho de protocolar seus requerimentos nas Repartições Publicas más também pela valorização que me confiava em fazer a entrega pessoal do seu Semanário recém criado, O PROGRESSO, aos funcionários daqueles órgãos.

Weimar Gonçalves Torres o primogênito do Dr. Torres formou-se em Direito e voltou para a fronteira. O clima político era quente pelas disputas do Poder entre o PTB getulista do Dr. Torres/Lycio Borralho/José Pinto Costa/Cel. Asturio Monteiro de Lima e a poderosa UDN de Adjalma Saldanha/Aral Moreira/Cóta Marques.

Precavido, o pai encaminhou o filho para Dourados o novo município que aflorava e se desenvolvia com a criação das Colônias instituídas por Getulio Vargas.

Weimar levou com ele O PROGRESSO e seus ideais sociais/trabalhistas. Assim, aquele Jornal Impresso criado na fronteira e naturalizado douradense tornou-se uma instituição não só de divulgação e comunicação do Sul do então MT ainda Uno, mas também em um veículo essencialmente educacional do regionalismo agora sul-matogrossense.

Em suas páginas nossas raízes foram sendo fixadas, registradas e armazenadas, e atualmente difundidas diariamente consolidando e valorizando o Mato Grosso do Sul.

Dias atrás, já em época de pensamentos natalinos amenizando a divulgação do lixo político que atualmente infesta toda a mídia, encontrei nas páginas do jornal O PROGRESSO ainda hoje nas mãos competentes da família do Weimar, com redação da Pedagoga Fátima Frota o Programa Jornal e Educação com um histórico sobre o patrono de uma Escola de Dourados. Um bom exemplo para a sociedade docente regional e certamente para todo o universo educacional do MS.

Por exemplo, Dom Aquino Corrêa é o nome ilustre que valoriza uma Escola em Amambai. Tenho certeza que poucas pessoas ali residentes conheçam o currículo desse Bispo Salesiano, intelectual, poeta e Membro Fundador da Academia Mato-grossense de Letras e que foi até Presidente do Estado. Assim também muitos desconhecem a historia e trajetória profissional do medico Dr. Fernando Correa da Costa, que por duas vezes foi Governador do nosso velho MT.

Em Ponta Porã poucos devem conhecer o histórico do medico Miguel Marcondes Armando, de Francisco Mendes Gonçalves e de outros patronos que com seus nomes ilustres valorizam a Educação.

Aliás, sobre o atual Centro Educacional Joaquim Murtinho construído no primeiro Governo de Pedro Pedrossian, 1967/70 um período que marcou o inicio do Ensino Superior no MT ainda uno, com a criação e instalação das duas primeiras Universidades em Cuiabá e Campo Grande, a historia registra fatos no mínimo pitorescos, para não dizer tristes e lamentáveis. Eis que a Assembléia Legislativa não aceitou para Patrono daquele importante Centro Educacional o nome do incentivador e construtor benemérito de Escolas Rurais de nossa região o Comerciante e Produtor Rural José Pinto Costa, aprovando politicamente aquela homenagem para o cuiabano Joaquim Murtinho.

E por comentar passagens e fatos elogiáveis contrastando a outros até ultrajantes sobre Educação e Cultura deste nosso MS ainda bastante jovem, podemos também nesta época de Governos e Governantes assíduos personagens das páginas Policiais dos Jornais, com Senadores, Deputados, Prefeitos etc. dando muito trabalho a Policia Federal, reafirma-se a politicagem promíscua do toma lá dá cá.

Até a desejada Casa de Cultura, Centro de Convenções de Ponta Porã que na sua Historia tem uma plêia de de nomes ilustres, utilizou-se erroneamente de um desconhecido em cujo item meritório do currículo consta apenas ser progenitor de um Senador do MS que deve passar este Natal atrás das grades, sem chaminé que permita a entrada do Papai Noel.

*Cidadão sul-mato-grossense - 80 Anos.

Envie seu Comentário