16/01/2018 17h10

60% da droga que entra no país passa por Mato Grosso do Sul, diz governadora.

Rose reforçou cobrança de Reinaldo à União.

Mídia Max
 
 

Durante agenda pública na manhã desta terça-feira (16), a vice-governadora Rose Modesto (PSDB) reforçou as cobranças que o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) fez ao Governo Federal, ao sugerir fechamento das fronteiras com Paraguai e Bolívia, e revelou números alarmantes sobre o narcotráfico na região.

"Precisamos que o governo federal assuma sua responsabilidade", disparou a governadora em exercício, ao informar que 60% de toda droga consumida no país entrar pelo território sul-mato-grossense.

Segunda ela, o governo estadual já solicitou à União apoio financeiro para garantir segurança na extensa faixa de fronteira do Estado, inclusive com pedido para que Ministério da Defesa enviasse militares do Exército, Marinha e Aeronáutica a Mato Grosso do Sul.

Além disso, o Estado também já requereu repasses financeiros ao governo Federal para custeio dos presos que cumprem pena em Mato Grosso do Sul por crime como tráfico de drogas, que seriam de responsabilidade da União.

"Queremos que o governo federal coloque suas forças na fronteira, é uma responsabilidade compartilhada", frisou Rose.

Envie seu Comentário