28/07/2017 13h50

Amigos organizam ato contra feminicídio após morte da musicista Mayara Amaral

A mobilização terá início às 16h

Midiamax
 
 

Amigos, familiares e integrantes de movimentos que defendem os direitos das mulheres, organizam para a próxima sexta-feira (4), um ato de manifestação contra o feminicídio, em memória da musicista Mayara Amaral, 27 anos, vítima de um crime brutal arquitetado por três homens.

A mobilização terá início às 16h, na Praça Ary Coelho, percorrerá a área central, até chegar na Orla Ferroviária. Classificada como latrocínio pela Polícia Civil, o crime levantou a discussão sobre a situação das mulheres diante o machismo e suas vítimas.

Na descrição do evento em uma página no Facebook, "Ato Nós por Nós, contra o Feminicídio", os organizadores apontam que "Campo Grande está cheia de caras bacanas, aclamados em seus roles, que agridem que agridem suas companheiras diariamente. Seus amigos podem até passar a mão nas suas cabeças, mas nós nos reergueremos", diz trecho.

Um dos autores do crime, Luis Alberto Bastos Barbosa, 29 anos, é baterista e tocava na mesma banda que a vítima. Mayara foi morta na segunda-feira (25), a marteladas, em um motel da Capital.

O outro envolvido assassinato é Ronaldo da Silva, 30 anos, amigo de Luis. O terceiro acusado é Anderson Pereira, de 31 anos, que ajudou a esconder o corpo e dividiu os pertences de Mayara com mais dois criminosos.

A justiça decretou a prisão preventiva dos três. Eles são acusados de latrocínio e ocultação de cadáver, e podem ser condenados a até 33 anos de prisão.

Envie seu Comentário