18/01/2018 15h

Cadastramento biométrico ainda não é obrigatório para eleitores de Corumbá e Ladário.

Em Corumbá e Ladário, o cadastramento começou em novembro de 2016 e até o início desta semana contabilizava 10.770 eleitores que passaram pelo procedimento, sendo a maioria, 9.600 em Corumbá.

Diário Corumbaense
 
 
Cadastramento está sendo realizado com apoio de militares do Exército.Cadastramento está sendo realizado com apoio de militares do Exército.

O cadastramento biométrico do eleitorado vem gerando dúvidas quanto à obrigatoriedade do procedimento já para as eleições de 2018. Em Corumbá e Ladário, o cadastramento começou em novembro de 2016 e até o início desta semana contabilizava 10.770 eleitores que passaram pelo procedimento, sendo a maioria, 9.600 em Corumbá.

Diferentemente do que já acontece em algumas cidades do país, o cadastramento biométrico ainda não é obrigatório em Corumbá e Ladário, conforme explicou o chefe do cartório da 7ª Zona Eleitoral, Anselmo Gonçalves Nina Júnior.

"É uma conveniência e não uma obrigatoriedade, entretanto quem se antecipar a esse momento de obrigatoriedade não precisará enfrentar possível desconforto no futuro, já que a maioria das pessoas deixa para regularizar a situação apenas quando ela se torna uma obrigação", esclareceu ao explicar que existe previsão de que isso ocorra a partir do próximo ano na região.

Militares cedidos pelo Exército auxiliam os funionários da Justiça Eleitoral a atender a demanda estimada pelo TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul), que é de 84 mil eleitores inscritos nas 7ª e 50ª Zonas Eleitorais que abrangem os municípios de Corumbá e Ladário.

O biometria é um sistema que reconhece o eleitor através de dados como as impressões digitais. A nova geração de urnas eletrônicas é dotada dessa tecnologia e auxilia a dar mais celeridade e evitar fraudes ao processo de votação ao reconhecer cada eleitor por suas características únicas. Durante o cadastramento biométrico, o eleitor tem as impressões digitais capturadas, além de uma amostra da assinatura e foto colhidas.

Para realizar o procedimento, o eleitor deve apresentar cópias e originais de algum documento de identificação com foto, CPF e comprovante de residência. Homens maiores de 18 anos, que irão tirar o título pela primeira vez, devem também apresentar comprovante de quitação do serviço militar.

"Quem não conseguir realizar a biometria até maio, não terá problemas na hora de votar, não perderá o título ou terá complicações previstas como tomar posse em concurso", esclareceu ao lembrar que, após o período de eleições, o procedimento voltará a ser realizado nos cartórios.

Envie seu Comentário