Vergonha

Pintura de faixa em rodovia gera polêmica em Aral Moreira

Faixa de divisão de pista foi colocada sobre buracos no asfalto. Empresa responsável prestou esclarecimentos sobre a situação.

07/12/2018 07h20 - Agazetanews

 
Fotos: redes sociaisFotos: redes sociais

A pintura de faixa de divisão de pista sobre trechos com buracos ao longo dos aproximados 38 quilômetros da Rodovia MS-286 entre a cidade de Aral Moreira e a MS-386, região do Tagi gerou polêmica.

O fato ganhou repercussão depois que moradores do município, em Aral Moreira fotografaram a ação e postaram em redes sociais.

Diante da grande polêmica gerada, a reportagem o grupo A Gazeta entrou em contato com a Galassi Engenharia, empresa terceirizada pelo Governo do Estado para realizar a manutenção das rodovias estaduais da região, incluindo o trecho em questão da MS-286, que apresentou sua versão para a situação.

Segundo a Galassi, devido o estado crítico que se encontrava o trecho da rodovia estadual, a empresa realizou recentemente trabalho de micro revestimento, ou seja, um reparo que não chega a ser uma restauração, mas que faz aumentar a vida útil da pavimentação da via, ao longo de 22 quilômetros da rodovia partindo de Aral Moreira.

Nos cerca 16 quilômetros restantes, como a próxima etapa do micro revestimento está previsto para ser retomado somente no começo de 2019, para garantir boas condições de trafegabilidade na via, que é considerada de grande importância para o escoamento da produção, principalmente de grãos, em Aral Moreira, a Galassi mantém o trabalho paliativo de tapa-buracos.

 
Foto: Redes sociais

Segundo a Galassi Engenharia, com o objetivo de garantir maior segurança para quem trafega pelo trecho da MS-286, mesmo antes de o trabalho de micro revestimento ser concluído, a empresa terceirizou a implantação de faixa de divisória de pista.

Acontece, segundo a Galassi, que a empresa ora terceirizada por ela, realizou o trabalho contínuo ao longo dos 38 quilômetros da via entre Aral Moreira e o Tagi, com isso acabou pintando a faixa, mesmo sobre buracos, em um trecho de aproximadamente oito quilômetros onde a Galassi ainda não havia concluído o trabalho de tapa-buracos.

De acordo com a Galassi, os reparos nos pontos onde os moradores tiraram as fotos já foram realizados, inclusive com a reimplantação da faixa de divisória de pista.

O Estado

Procurado pela reportagem do grupo A Gazeta, o Governo do Estado se manifestou por meio de seu coordenador regional, em Ponta Porã, Adir Teixeira de Oliveira.

Segundo Adir, a empresa que realizou a demarcação horizontal da via já foi notificada e a Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) encaminhou engenheiros para averiguar in loco a situação

Envie seu Comentário