11/11/2017 15h50

Investigação descarta febre amarela em macaco, mas monitoramento continua.

Animal foi encontrado morto esta semana.

Mídia Max
 
 

As investigações sobre as causas da morte de um macaco, encontrado na última terça-feira (7), na zona rural de Campo Grande, indicam que o animal morreu por causas externas. De acordo com a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), a análise clínica descartou a suspeita de febre amarela no animal.

Conforme a assessoria da Sesau, equipe do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) esteve na área onde o macaco foi encontrado morto e conversou com o morador que fez o chamado. Pelas informações passadas pelo homem, o animal aparentava estar debilitado há alguns dias, com dificuldades de se locomover.

Conforme a secretaria, a análise clínica do corpo do animal mostrou que ele tinha alguns ferimentos, o que descarta, a princípio, que a doença tenha influenciado na morte do bicho. Apesar da conclusão, equipes da Sesau continuam monitorando o local e recolhendo amostras.

A doença

Conforme a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), a febre amarela é uma doença infecciosa grave e é causada por vírus, transmitida pelos mosquitos. A espécie Haemagogus é responsável pela transmissão em áreas florestais enquanto nas áreas urbanas, o vírus pode ser transmitido pelo Aedes aegypti, mesmo vetor da dengue, zika e chikungunya.

A infecção só ocorre se uma pessoa, que nunca teve ou nunca se vacinou contra a doença, for picada por um mosquito infectado. Não há transmissão do vírus de uma pessoa para outra. A vacinação contra a doença é feita em dose única.

Envie seu Comentário