27/11/2017 09h50

Saúde: Pacientes com câncer esperam mínimo de cinco meses por radioterapia no Estado

Tratamento continua nas mãos da iniciativa privada, já que o SUS não tem aparelhos adequados

Correio do Estado
 
 
Área para instalação de novo aparelho de radioterapia, o acelerador linear está sendo reformada no Hospital de Câncer - Foto: Bruno Henrique / Correio do EstadoÁrea para instalação de novo aparelho de radioterapia, o acelerador linear está sendo reformada no Hospital de Câncer - Foto: Bruno Henrique / Correio do Estado

Com estimativa de aumento de casos de câncer em aproximadamente 16% ao ano em Mato Grosso do Sul, fazer o tratamento da doença pelo Sistema Único de Saúde (SUS) ainda é problema enfrentando por muitos pacientes, já que a fila existente, obriga espera de, no mínimo, cinco meses para início do tratamento. Hoje, 27 de novembro, é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Câncer.

Dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca) apontam previsão de 4.570 novos casos de câncer no Estado entre 2016 e 2017, quantidade 85,6% maior do que em 2008 quando foram 2.461.

Enquanto a cada ano mais pessoas precisam se submeter às terapias que podem combater o câncer, no Estado não há estrutura para atender os pacientes do SUS. Sem equipamento próprio de radioterapia em funcionamento desde outubro, a fila já chega a aproximadamente 200 doentes e alguns são obrigados a esperar de cinco meses e até anos para começar o tratamento.

Envie seu Comentário