A incidência do autismo tem aumentado nas últimas décadas, sendo de um caso a cada 68 crianças nascidas vivas

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE/CG) convida a imprensa para a apresentação do Projeto de Pesquisa “Triagem Neonatal e Tratamento Precoce do Autismo”, que será realizada no dia 15 de julho, às 8 horas, no Centro Especializado em Reabilitação da APAE de Campo Grande (CER/APAE). O evento tem a presença confirmada do prefeito Marquinhos Trad.

A incidência do autismo tem aumentado nas últimas décadas, sendo de um caso a cada 68 crianças nascidas vivas. Não existe um exame específico para seu diagnóstico, sendo o mesmo unicamente clínico.

Atualmente o tratamento médico e multidisciplinar inicia após a manifestação dos sintomas, em média com 36 meses de vida. A proposta de triagem neonatal e intervenção precoce em desenvolvimento pela APAE de Campo Grande visa o tratamento precoce, ou seja, o diagnóstico e tratamento antes da manifestação dos sintomas, em crianças de zero a um ano de idade.

A equipe Médica do Centro Especializado em Reabilitação da APAE de Campo Grande (CER/APAE), sob direção clínica do Dr Alberto Cubel Brull, coordenada pelo Dr Paulo Muleta e Dr Paulo Siufi, vem desenvolvendo há mais de três anos, protocolo de triagem neonatal e tratamento precoce para o Transtorno do Espectro Autista – TEA. Após revisão sistemática e reuniões técnicas, foram desenvolvidas duas propostas: I- Protocolo de Tratamento do TEA e II- Triagem neonatal do TEA.

A fase de testes preliminares mostra que os resultados clínicos encontrados foram surpreendentes, tendo ultrapassado a estimativa inicial do corpo clínico envolvido no estudo. Integrantes do projeto relatam que “podem ter encontrado o mecanismo biomolecular que causa o desenvolvimento neurosináptico característico do autista, em crianças sem comprometimento genético”.

Os resultados preliminares obtidos no tratamento de seis crianças com o transtorno do espectro autista, com idade de 6 a 12 anos, de ambos os sexos, com as mais variadas manifestações clínicas, demonstraram melhora no comportamento social, atividades escolares/acadêmicas, comunicação, contato visual e outros ganhos normais e comuns de uma criança neurotípica.

Apesar dos resultados promissores, o protocolo deve apresentar melhor resultado em crianças de menor idade. Conforme relatado pelos pesquisadores, o objetivo com a triagem neonatal é tratar as crianças nos primeiros 3 anos de vida, evitando assim o desenvolvimento do autismo.

O próximo passo dos pesquisadores é aplicar o protocolo de triagem e tratamento em um número maior de crianças (representativo estatisticamente), para assim comprovar a real eficácia na prevenção do autismo, confirmando a proposta por meio do método científico.

Apresentação do Projeto de Pesquisa

A APAE de Campo Grande apresentará o projeto de pesquisa no dia 15 de julho, às 8 horas, no Centro Especializado em Reabilitação da APAE de Campo Grande (CER/APAE), na Rua Carlinda Tognini, 251, Vila Progresso.

Comentários