20.6 C
Ponta Porã
sábado, 2 de julho, 2022
InícioReligiãoCaminhos para inspirar novas vocações religiosas, por Irmão Anacleto Peruzzo

Caminhos para inspirar novas vocações religiosas, por Irmão Anacleto Peruzzo

Irmão Anacleto Peruzzo*

Ao receber o dom da vida, o ser humano é também chamado à fé. E é por meio desta que participa, pelo batismo, do Novo Povo de Deus (Igreja). Este chamado é um apelo a “tornar-se santo como o Pai é santo”, realizando-se como ser humano e colaborando na missão de Deus que nos quer todos irmãos e irmãs.

É importante esclarecer que a busca da santidade pode dar-se em três estados de vida ou vocações cristãs específicas diferentes: vocação cristã laical (casados ou solteiros), vocação cristã ao ministério ordenado (padres, bispos e diáconos) e vocação cristã à vida consagrada. Todos chamados à santidade, mas com estilos de vida que se diferem. 

Os homens e mulheres que seguem a Vida Religiosa Consagrada são cristãos que põem o sentido último da sua existência no seguimento radical de Jesus Cristo. Ao experimentarem seu infinito amor, sentem-se escolhidos, preparados e enviados por Ele para uma missão de serviço a seus irmãos e irmãs na Igreja e na sociedade onde vivem. Confirmam esta opção radical por Deus e pela humanidade, emitindo os votos de pobreza, castidade e obediência, tornando-se, assim, sinais e testemunhos do Reino definitivo, livres e disponíveis para a missão em favor das pessoas. A vida religiosa consagrada faz parte da vida, santidade e missão da Igreja. É o coração da Igreja, porque cumpre a missão que lhe foi confiada pelo Espírito Santo. 

O Instituto dos Irmãos Maristas, fundado por São Marcelino Champagnat, é constituído oficialmente de religiosos Irmãos. Tem como missão, na Igreja, testemunhar a fraternidade (Irmãos) e educar crianças e jovens, formando bons cristãos e ótimos cidadãos, principalmente os mais pobres, do jeito de Maria. O carisma legado por Marcelino continuou e se adaptou ao longo do tempo nos milhares de Irmãos que seguiram seus passos.  

Mas o carisma não é propriedade dos Irmãos Maristas, e sim da Igreja. Essa descoberta fez com que milhares de Leigos e Leigas, casados ou solteiros, sentissem o chamado de pautar sua vida pelos valores Maristas e seguissem as pegadas de Marcelino, dedicando sua vida, ou parte dela, à missão de educar crianças e jovens, quer como profissionais, quer como voluntários. Tal fato deu novo impulso ao carisma e a missão.

Porém, o desafio é grande: faltam trabalhadores para a messe do Senhor junto às crianças e jovens. Dessa forma, é preciso despertar novos vocacionados, quer de Irmãos consagrados, quer de Leigos/as Maristas engajados, para atender a missão. Sendo assim, a estratégia de declarar o ano que vai de 20 de maio de 2022 a 6 de junho de 2023 no Ano das Vocações Maristas.

Ano Vocacional Marista

Com o lema “cuidar e gerar vida Marista”, o Ano das Vocações Maristas quer ser um momento de esforço renovado para atrair e incentivar mais pessoas a “vir, ver, ficar” e fazer parte dessa jornada, de seguir a Jesus, como Maria o seguiu e trabalhar na sua missão junto às crianças e jovens.

Na carta que anuncia o Ano Vocacional Marista, o Superior Geral, Irmão Ernesto Sanches, desafiava os Irmãos dizendo: “Uma de nossas tarefas urgentes hoje, além de compartilhar e desenvolver o dom do carisma que o Espírito nos deixou através de São Marcelino Champagnat, é alimentá-lo e promovê-lo com a mesma paixão que ele tinha quando disse: “Precisamos de Irmãos!”. Nossa Regra da Vida nos diz: “Vale a pena ser Irmão hoje”. Somos desafiados hoje a “reafirmar o valor e a necessidade desta vocação” (Carta de abertura do AVM).

O futuro do carisma Marista na Igreja depende, sim, dos Irmãos Consagrados, mas também dos cristãos Leigos e Leigas que se sentem atraídos por esse carisma. Para tal, é preciso criar uma cultura vocacional, onde juntos, Irmãos e Leigos nos sintamos comprometidos a assumir a vida como vocação e impelidos a continuar o legado que o Espírito Santo infundiu em São Marcelino. 

Se o carisma é dinâmico e sempre renovado, também as formas e as linguagens que o apresentam devem atualizar-se. Por isso, o ano vocacional também é um convite a olhar para nosso jeito de fazer educação, pastoral e animação vocacional. Talvez os esquemas e formas da nossa atuação didática e pastoral junto às crianças e jovens necessitem de mudanças radicais para responder aos apelos da juventude atual. 

O Ir. Ernesto, Superior Geral do Instituto, deixou a todos os Maristas de Champagnat um excelente conselho em sua circular: é preciso criar “lares de luz que geram nova vida”. Assim, todos, Irmãos, comunidades, fraternidades, famílias, jovens e crianças sejamos geradores de vida Marista, não importa a idade ou os anos de experiência e de compromisso que se tem na vida Marista. Se vivermos o grande mandamento de Jesus,“amai-vos como eu vos amei”, certamente criaremos “lares de luz” e atrairemos novas vocações para continuar e desenvolver o carisma e a missão Marista no mundo. 

Irmão Anacleto Peruzzo é diretor de Vida Consagrada da Província Marista Brasil Centro-Sul (PMBCS). Atua no Acompanhamento Vocacional e formação de futuros Irmãos.

MAIS LIDAS