7 C
Ponta Porã
domingo, 14 de julho, 2024
InícioEsportesFutebolComandada por Cezário, federação de futebol declarou rombo de quase R$ 1...

Comandada por Cezário, federação de futebol declarou rombo de quase R$ 1 milhão em 2023

A FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul), comandada por Francisco Cezário há 26 anos, encerrou o ano contábil de 2023 com perda de patrimônio e rombo declarado de R$ 971 mil nas contas. Isso é o que revela prestação de contas da entidade, que é alvo da Operação Cartão Vermelho, do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), nesta terça-feira (21).

O relatório contábil da prestação de contas foi publicado pela federação de futebol e é datado de 31 de dezembro de 2023. A auditoria registra toda a movimentação declarada da instituição e revela empréstimos feitos, aumento de depreciação de patrimônio e o dinheiro em caixa ao fim do ano.

A Federação de Futebol e o presidente Francisco Cezário são alvos de 14 mandados de busca e apreensão e 7 de prisão, conforme informou o Gaeco. Ainda não há informação de quem são os alvos das prisões.

O grupo que é suspeito de lavagem de dinheiro e corrupção desviou pelo menos R$ 6 milhões da FFMS, segundo o Gaeco. Mandados também são cumpridos em Dourados e Três Lagoas.

Comandada por Cezário, federação de futebol declarou rombo de quase R$ 1 milhão em 2023
Equipes do Gaeco em frente à FFMS (Alicce Rodrigues, Jornal Midiamax)

Auditoria revela rombo de R$ 971 mil na Federação de Futebol

O balanço financeiro da instituição mostra que o patrimônio líquido da FFMS fechou 2023 em R$ 971 mil negativos. No ano anterior, em 2022, a federação havia finalizado o ano contábil com patrimônio em R$ 752 mil no vermelho.

Segundo os auditores que assinam o balancete, no exercício de 2023 a federação de futebol teve um déficit acumulado de R$ 218,5 mil, o que elevou o rombo total para quase R$ 1 milhão.

Confira abaixo o quadro da auditoria que revela o patrimônio da entidade:

Comandada por Cezário, federação de futebol declarou rombo de quase R$ 1 milhão em 2023

A prestação de contas da federação de futebol também revela que no ano de 2023 a situação financeira da entidade piorou depois que a 4ª Vara Cível de Três Lagoas condenou a entidade em um processo de indenização. A FFMS ficou responsável por pagar 50% da indenização fixada pela Justiça em R$ 839,3 mil.

O demonstrativo financeiro mostra, ainda, que a federação contraiu empréstimo de R$ 77,1 mil no ano de 2023.

Confira abaixo a prestação de contas da Federação de Futebol em 2023:

Prestacao-de-Contas-FFMS-2023_compressedBaixar

Fundesporte repassou R$ 1,2 milhão para FFMS em março

Anualmente, a federação de futebol recebe repasses estaduais, da Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul) e federais, da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), para realização de campeonatos e repasse de recursos para os times federados, que também participam de competições nacionais, como a Copa do Brasil.

O Portal da Transparência do Governo do Estado revela que a Fundesporte pagou R$ 1,2 milhão à FFMS no último dia 5 de março de 2024. O valor é referente ao convênio para a realização da série A do Campeonato Sul Matogrossense de Futebol 2024.

O pagamento feito pela Fundesporte aconteceu quase dois meses depois da assinatura do termo de fomento Nº 001/2024-PROCESSO n. 85/010.348/2023, que estabeleceu a parceria entre o Estado e a federação de futebol para a realização do Estadual de 2024.

Operação Cartão Vermelho

Conforme informações do Gaeco, o grupo realizava pequenos saques de até R$ 5 mil para não chamar atenção dos órgãos de controle. De setembro de 2018 a fevereiro de 2023, foram identificados desvios que superaram os R$ 6 milhões.

Somente durante o cumprimento dos mandados nesta terça-feira foram apreendidos mais de R$ 800 mil.

Os valores eram distribuídos entre os integrantes da organização criminosa. O esquema se estendia também a outras empresas que recebiam altas quantias da federação. Assim, parte dos valores eram devolvidos por fora ao grupo.

A organização criminosa também possuía um esquema de desvio de diárias dos hotéis pagos pelo Estado de MS em jogos do Campeonato Estadual de Futebol.

Midiamax