Maceió/AL – A Polícia Federal deslocou, nesta terça-feira, 30/11, equipe de policiais até a cidade de Igreja Nova/AL, com objetivo de investigar comunicação de uso de diploma falso para obter registro de médico.

Naquele município alagoano, os policiais federais encontraram a investigada atendendo pacientes do Programa de Saúde da Família – PSF, como se médica fosse.

Em virtude da circunstância flagrancial, conduziram-na ao plantão da Superintendência Regional da PF em Alagoas, para as providências de praxe.

Por se tratar, na situação flagrancial, de crime de menor potencial ofensivo, foi lavrado Termo Circunstanciado de Ocorrência- TCO, instruído com a oitiva da flagranteada, com a apreensão do carimbo usado pela falsa médica, bem como com a relação de atendimentos do dia em questão, elementos que demonstram o exercício ilegal da medicina.

A flagranteada comprometeu-se a comparecer em juízo quando chamada, razão pela qual foi liberada sem arbitragem de fiança. Ela responderá pelos crimes previstos no art. 282 (exercício ilegal da medicina), art. 297 (falsificação de documento público) e art.  304 (uso de documento falso), todos do CP.

Comunicação Social da Polícia Federal em Alagoas

[email protected]

Comentários