Prefeito Hélio Peluffo Filho e o jornalista Tião Prado (Foto: Alziro Palito)

Neste final de semana estive visitando o prefeito Hélio Peluffo Filho, que após breve férias retornou as suas atividades a frente do executivo de Ponta Porã, de onde segundo ele só sairá em 31 de dezembro de 2024, último dia de seu mandato.

Claro que a partir da agora de uma maneira mais calma e sem atropelos, porque durante a sua estada no sul do país, o cidadão Hélio Peluffo Filho, que igual a muitos fronteiriços, adora fazer uns passeios de moto sentindo aquela ‘sensação de liberdade’, com ar batendo no rosto, numa curva da estrada, conforme ele mesmo gosta de salientar, em baixa velocidade, perdeu o controle, caiu e acabou fraturando o ombro, passou por uma cirurgia e  a partir de agora passa a conviver com 15 pinos de platina.

Mas nem mesmo o ocorrido nas férias está tirando o ânimo do prefeito Hélio Peluffo Filho. Durante o nosso bate papo, falou das novas obras, dos asfaltos, do projeto de revitalização da Linha internacional, que terá também uma nova ciclovia com pista de caminhada e completa arborização.

Ponta Porã: De Pedro Manvailler a Hélio Peluffo Filho, a cidade se transforma
Momento histórico na fronteira

O prefeito também lamentou a perda prematura do cidadão Robert Acevedo, que foi vereador, prefeito, governador, senador e deputado federal no Paraguai. Lembramos de que, na então administração Flávio Kayatt, onde Hélio era secretário de obras, ele desenvolveu o projeto de revitalização da iluminação da linha internacional que estava às escuras a algum tempo e foi falar com o então governador Robert Acevedo e juntos foram falar com a diretoria da Itaipu Internacional, que bancou a ideia e juntos fizeram o projeto acontecer e a linha ficou muito bonita, toda iluminada.

Robert Acevedo, 55 anos de idade, perdeu a luta para o covid-19. Era um cidadão de  bem, tinha um grande trabalho prestado na fronteira, era defensor voraz da nossa região, sendo elogiado e admirado por pessoas tanto do Paraguai como também do Brasil, recebeu na fronteira, o então presidente Lula e o presidente Lugo, em um evento histórico, onde ao lado do ex-prefeito Flávio Kayatt,  inaugurou a ‘praça dos presidente’, na linha internacional.

Fomos com o prefeito Hélio Peluffo Filho, fomos dar uma volta na praça ‘Pedro Manvailler’, atrás da prefeitura que está passando por uma completa reforma, muitas mudanças aconteceram na praça e ainda vai acontecer. Segundo o prefeito, o local vai ficar de cara nova e realmente merecia uma reforma, pois estava muito acabada.

Para os mais novos, cabe aqui apresentar a história de Pedro Manvailler, que conheci através do nome da principal avenida da cidade de Amambai, avenida essa que morei e trabalhei por um logo período.

Ponta Porã: De Pedro Manvailler a Hélio Peluffo Filho, a cidade se transforma
Pedro Manvailler

Pedro Manvailler nasceu na cidade  de São Borja, no Rio Grande do Sul, em 20 de setembro de 1879, veio para a nossa região e morou primeiro no ‘Patrimônio União’, hoje cidade de Amambai, em seguida por sugestão do irmão José Manvailler, mudou-se para a cidade de Ponta Porã, onde foi nomeado em 02 de janeiro de 1915 como tesoureiro da Intendência Municipal de Ponta Porã.

Em 1936, retornou a Ponta Porã para concorrer ao cargo de prefeito, pelo Partido Evolucionista.

Ao encerrar seu primeiro mandato (1937 a 1940), Pedro Manvailer não precisou concorrer à reeleição.

Foi nomeado ao cargo pelo então presidente da republico, Getúlio Vargas.

Porém, o segundo mandato durou menos um ano. Em 13 de dezembro de 1941, Pedro Manvailer faleceu.

Sua dedicação a vida pública rendeu um elogio épico. Durante uma visita do presidente Getúlio Vargas a Ponta Porã, o prefeito ouviu a seguinte frase do presidente: 

“Se todos os prefeitos fizessem como o senhor, o Brasil teria dado mais um grande passo para o futuro”.

 A frase está registrada em seu simples túmulo, na cidade de Ponta Porã.

Vou fazer um pedido ao prefeito Hélio Peluffo Filho, para que essa importante frase seja colocada na placa da Praça que certamente será colocada no local com o nome de Pedro Manvailler, uma frase digna de ser lembrada nessa importante obra.

Este último trecho, eu tirei do blog ‘Patrimônio União’ do amigo e escritor Albertino Fachin Dias, imortal da Academia Amambaiense de Letras.

Ponta Porã: De Pedro Manvailler a Hélio Peluffo Filho, a cidade se transforma
Prefeito Hélio Peluffo Filho Foto: Tião Prado (Pontaporainforma)
Comentários