Farid tinha 37 anos (Foto: Redes sociais)

Missa de 7º dia será realizada nesta quinta-feira (14) na mesma igreja onde vereador foi velado

“Uma coisa bárbara e surreal” foi como Sumaya Afif, advogada, definiu a morte do irmão Farid Afif, de 37 anos, vereador executado na noite da última sexta-feira (8) em Ponta Porã, MS.

Com os pais muitos abalados e sem condições de falarem com a reportagem, Sumaya falou em nome da família ao Campo Grande News e pediu que a imprensa de MS aguarde a conclusão das investigações para não publicar matérias precipitadas que comprometam o trabalho que Farid realizou ao longo dos anos.

“Nesse momento só queríamos que falassem as coisas boas que ele sempre fez, já estamos sofrendo muito e vimos algumas fake news, sugerindo que a morte dele tem relação com tráfico de drogas ou dívidas, sendo que ele odiava pegar dinheiro emprestado e não se envolvia com coisa de tráfico. Quem conhece ele sabe disse, ele era super envolvido com a família”, disse a advogada.

De acordo com Sumaya, a família não consegue entender porque Farid foi morto e espera informações através da polícia enquanto vive o luto e resolve as burocracias necessárias após a morte do vereador. “Ainda estamos tentando absorver tudo e dar todo apoio pros nossos pais, pra minha cunhada e pras crianças”, desabafou.

Na noite desta quinta-feira (14) será realizada a missa de 7º dia da morte de Farid. A cerimônia será aberta ao público e realizada na Paróquia São Charbel, na Avenida Brasil. “Quem quiser ir será bem vindo. Nessas horas é muito bom saber que podemos contar com os amigos e com quem acompanhava e gostava do trabalho dele”, finalizou Sumaya.

Fonte: Campograndenews

Comentários