O Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) vai lançar um canal exclusivo para que as mulheres vítimas de assédio ou discriminação – sejam elas magistradas e promotoras eleitorais, advogadas, estagiárias, servidoras ou eleitoras – possam apresentar denúncias. A Ouvidoria da Mulher do Regional goiano terá canais de comunicação e procedimentos próprios para receber e encaminhar as reclamações para os órgãos internos e externos do Tribunal, garantindo o sigilo do nome e os dados da denunciante.

O presidente da Comissão de Enfrentamento ao Assédio do TRE de Goiás, juiz e ouvidor eleitoral da Corte goiana, Márcio Moraes, ressalta que, infelizmente, a violência contra a mulher continua sendo uma demanda presente que precisa ser combatida com veemência. Daí a necessidade de se criar um canal de denúncia que ofereça mais conforto para a denunciante.

Na Ouvidoria da Mulher, a denúncia será recebida e tratada por servidoras e juízas do Tribunal, oferecendo escuta ativa, acolhimento e orientação de solução para as denunciantes, como mudança de lotação, tratamento psicológico e instauração de procedimentos disciplinares, além de encaminhamento para procedimentos criminais, tudo de acordo com a vontade da vítima.

“Esperamos não ter um número elevado de denúncias, mas, se tivermos, queremos que a vítima se sinta confortável, sabendo que existe um canal à sua disposição para que ela possa fazer a denúncia de forma sigilosa, segura e entre mulheres, sem qualquer tipo de constrangimento”, explica o ouvidor. 

A criação da Ouvidoria foi capitaneada pelo presidente do TRE-GO, desembargador Leandro Crispim, que encampou o projeto desde o início, determinando prioridade máxima para a implantação da iniciativa.

Para a vice-diretora da Escola Judiciária Eleitoral do Tribunal Superior Eleitoral (EJE/TSE), Caroline Lacerda, a criação da Ouvidoria da Mulher “é uma importante iniciativa para lançarmos um olhar crítico sobre a nossa sociedade e para encorajarmos mudanças efetivas em prol da igualdade de gêneros”. “É uma clara forma de dizermos: Não vamos nos calar”, diz.

Lançamento

O lançamento oficial da Ouvidoria da Mulher será na próxima quarta-feira (16), às 9h, em evento on-line transmitido ao vivo pelo canal do TRE-GO no YouTube, com a presença de várias autoridades do Poder Judiciário.

A programação do evento prevê apresentações sobre a Política de Prevenção e Enfrentamento do Assédio Moral, Sexual e de Discriminação na Justiça Eleitoral, além de dois painéis sobre os temas “Práticas e formas de combate ao assédio e discriminação” e “A Ouvidoria da Mulher na prática”.

Assédio é a exposição de alguém a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas. Geralmente, tal expressão se refere a atos ocorridos durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções. Eles são mais comuns em relações hierárquicas autoritárias e assimétricas, em que predominam condutas negativas, relações desumanas e antiéticas de longa duração, de um ou mais chefes dirigida a um ou mais subordinados, desestabilizando a relação da vítima com o ambiente de trabalho e a organização.

MC/LC, DM com informações do TRE-GO

Fonte: TSE

Comentários