O corpo foi abandonado em uma via publica. Foto: Marciano Candia (Ultima Hora)

Os agentes da Policia Nacional do Paraguai foram acionados nas primeiras horas da madrugada desta quarta-feira (28), para atender uma denúncia de que havia uma pessoa morta na rua Carolina fração II da Colônia Republica em Pedro Juan Caballero, Paraguai, fronteira com Ponta Porã-MS.

Chegando ao local, os agentes policiais encontraram o corpo de um adolescente de nome  Derlis Cardoso Alfonso de 17 anos, que estava com as mãos e pés amarrados, sendo que as mãos, a garganta e parte do peito cortados com vários golpes de faca.

No local onde o corpo de Derlis foi deixado, os policiais encontraram um cartaz com a frase: “Os vigilantes estão de volta. Observe que vamos atrás de todos. Isso é apenas o começo. Morte aos ladrões ”.

A mãe da vítima garantiu que seu filho trabalhava em uma oficina de motocicletas e que nunca foi respondeu por atos criminosos, informou o correspondente da Ultima Hora, Marciano Candia.

Já o médico forense César Gonzalez Haiter, falando a rádio Império 103,1 FM, confirmou que a morte do jovem se deu pelos ferimentos de golpes de faca, sendo que depois dos exames feitos, também se comprovou outras feridas encontradas no corpo que foram feitas por animais da fauna local, ou até mesmo por cachorros que encontraram o corpo na madrugada e comeram algumas partes do corpo.

Cesar Gonzalez também confirmou que os dois membros superiores, ou seja, as mãos foram amputados um pouco acima do pulso. O golpe fatal foi um estrangulamento das vias aéreas da vitima que foi seccionada de forma total, e esse golpe foi a causa da morte.

Desaparecimento:

Segundo relatos que foi informado aos policiais, a vitima Derlis Cardoso Alfonso de 17 anos, estava na noite desta terça-feira (27), na casa de uma amiga no bairro Jardim Aurora chegaram homens encapuzados e fortemente armados no local e perguntaram pela pessoa de um tal Kadau. Algumas pessoas que estavam junto com ele ao perceberem a chegada dos homens, se esconderam no banheiro e quando saíram não viram mais a pessoa de Derlis, então que eles perceberam que  o rapaz havia sido sequestrado imediatamente e só ficaram sabendo do ocorrido quando o corpo foi encontrado na manhã de hoje.

Este foi o segundo caso em que foi deixado um cartaz atribuindo o crime aos justiceiros da fronteira. Na noite de segunda-feira (26), um outro jovem foi morto com mais de 43 tiros de sub-metralhadora 9 mm em uma choperia no centro de Pedro Juan Caballero, Paraguai, o qual ainda vitimou a namorada do executado.

Comentários