Maior patrimônio é de candidato a prefeito de Inocência, fazendeiro que leva R $ 1,8 mil de ajuda.

Com 155 candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereador que recebeu o auxílio emergencial, Mato Grosso do Sul tem, pelo menos, 16 candidatos milionários que, ainda assim, recebeu o benefício do governo federal, voltado a pessoas vulneráveis ​​que sem renda durante uma pandemia da Covid-19.  

A lista dos candidatos que recebeu o auxílio emergencial foi divulgada nesta sexta-feira pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Conforme o tribunal, entre os 155 candidatos que receberam o auxílio no Estado, todos têm patrimônio superior a R $ 300 mil.  

Em Mato Grosso do Sul, o postulante com maior patrimônio é o candidato a prefeito de Inocência, Antonio Angelo Garcia dos Santos, o Toninho da Cofap (DEM). Ele expresso R $ 6,4 milhões em bens à Justiça Eleitoral, entre eles, a Fazenda Macaúba, avaliada em R $ 5,7 milhões. Ele também possui R $ 126 mil em cabeças de gado; duas casas, uma de R $ 400 mil e outra de R $ 180 mil; e um carro de R $ 25 mil.  

Apesar de ter todo este patrimônio, Toninho da Cofap apurado R $ 1,8 mil de auxílio emergencial, conforme indica o Tribunal de Contas da União.  

O segundo maior milionário do Estado que confere o benefício da Caixa é o candidato a vereador em Paranaíba, Cleverson Antônio Queiroz Gonçalves, o Cleverson do Pelourinho (Republicanos). Ele herdado patrimônio de R $ 2,6 milhões e adicionado R $ 1,2 mil de auxílio. Ele tem uma parte em um prédio comercial, 10 terrenos, uma casa e ainda 30 hectares de terra.  

A candidata a vereadora pelo MDB, em Campo Grande, Silmara Félix (MDB) também tem mais de R $ 2 milhões em patrimônio. Ela oficialmente R $ 1,2 mil de auxílio do governo, mas tem um patrimônio de R $ 2,5 milhões.  

Além dela, há outros 12 candidatos, todos a vereador, que tem patrimônio de mais de R $ 300 mil, e ainda assim recebeu auxílio emergencial. 

VEREADORA

Silmara tem um imóvel comercial avaliado em R $ 2 milhões, mais outros bens. Ela se defendeu, porém, afirmando que devolveu o dinheiro. Ela também afirmou que, felizmente, nunca precisou e nunca melhorou tal auxílio e que solicitou a devolução. Uma candidata ainda encaminhou um comprovante.  

Jorge Justino Diogo, candidato a vereador em Brasilândia pelo PSD, tem um patrimônio de R $ 2,1 milhões, mas, ainda assim, arrematado R $ 1,2 mil de auxílio.  

Dilson Nunes (PDT), candidato a vice-prefeito em Bandeirantes, ex-um patrimônio de R $ 2.043.000,00, mas ainda assim assimilado a R $ 600 de auxílio emergencial.  

Há também o caso da candidata a vereadora em Iguatemi, Raquel Martins (DEM). O patrimônio dela aparece com quantias bilionárias na lista do Tribunal de Contas da União: R $ 1.200.001.946,10, para ser mais exato. Porém, R $ 1,2 bilhão seriam referentes a metade de um sítio na cidade. Por causa da possível inconsistência dos dados, o Correio do Estado acionou o Tribunal de Contas da União para esclarecer o número, mas não recebeu resposta. Pela mesma razão, o nome dela não foi incluído no infográfico em anexo nesta reportagem.  

Estado tem 17 candidatos milionários que receberam auxílio emergencial

BRASIL

A lista foi divulgada conforme determinação do ministro do TCU, Bruno Dantas. Em um cruzamento de dados feito pelo tribunal, foi possível identificar 10,7 mil candidatos nessa situação e outros 1,3 mil com patrimônio superior a R $ 1 milhão e que obtiveram o benefício durante uma pandemia do novo coronavírus.

Fonte: Correio do Estado

Comentários