Os valores, levantados por meio de Certificado de Recebíveis do Agronegócio, já estão na conta das cooperativas.

O Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (O MST) atingiu o objetivo traçado em sua investida para captar recursos no mercado de capitais para o financiamento da produção. Parte dos recursos será direcionada para cooperativas em assentamentos de Mato Grosso do Sul.  

Por meio da emissão de certificados de recebíveis do agronegócio (CRA), instrumento usado nos últimos anos por grandes empresas e sociedades do setor, o movimento conseguiu levantar R $ 17,5 milhões, que serão direcionados para sete cooperativas. Os valores já estão nas contas nas contas nesta quinta-feira (16).

As cooperativas estão pendentes nos estados de Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul e requisitos de leite, milho, arroz, soja, açúcar mascavo e suco de uva.

Os títulos foram emitidos pela Gaia Impacto e comercializados pela Terra Investimentos, com o valor de R $ 100 cada e uma remuneração pré-fixada de 5,5% ao ano.

Cada investidor podia reservar até R $ 1 milhão em certificados. Os investidores fizeram uma reserva dos papéis do dia 26 de julho até 9 de setembro, quando encerrou o prazo.

Essa foi a segunda incursão do MST no mercado de capitais. O primeiro contato com os investidores ocorridos em maio de 2020, quando o movimento movimento R $ 1 milhão para a Coopan (Cooperativa de Produção Agropecuária Nova Santa Rita) no Rio Grande do Sul.

Fonte: Correio do Estado

Comentários