Policiais seguindo para cumprir mandados da operação deflagrada nesta terça-feira (14). (Foto: Divulgação/PFMS

A Polícia Federal deflagrou, nesta terça-feira (14), a Operação Aqueus, para prender uma quadrilha de traficantes que movimentou mais de R$ 155 milhões em 14 meses. Esses líderes são moradores de Três Lagoas, a 327 quilômetros de Campo Grande. A PF cumpre hoje, 29 mandados de prisão, 63 de busca e apreensão, além de bloqueio de bens dos investigados.

Em Mato Grosso do Sul, os mandados são cumpridos nas cidades de Três Lagoas, Água Clara, Campo Grande e Ponta Porã. Também são cumpridos mandados em cidades de São Paulo, Paraná e Minas Gerais.

As investigações começaram em 2020. Foi verificado que o grupo adquiria a droga em Ponta Porã, que faz fronteira com o Paraguai, e depois a transportava para Campo Grande, onde ficava em um depósito. Após, seguia para o entreposto, em Três Lagoas, de onde era distribuída para o interior de MS, litoral paulista e interior de Minas Gerais.

Os valores com a venda eram depositados em contas de empresas de fachada, utilizadas, exclusivamente, para lavar o dinheiro. O núcleo movimentou mais de R$ 155 milhões em 14 meses. A PF apurou que o lucro dos líderes três-lagoenses eram recebidos por meio de veículos, dinheiro em espécie e contas bancárias de parentes próximos, que integravam a organização criminosa.

Para ocultar o patrimônio, investiam, principalmente, em imóveis, que eram registrados em nome de terceiros. Em um período aproximado de um ano (entre 2020 e 2021), os líderes da organização criminosa teriam recebido, somente em valores creditados em contas correntes de seus “laranjas”, mais de R$ 3,5 milhões. No entanto, estima-se que o lucro obtido com o tráfico tenha sido superior, porque há valores recebidos em espécie e bens não contabilizados.


Durante a investigação, foram presas oito pessoas em flagrante e apreendidos aproximadamente 500 quilos de drogas, além da identificação de outros carregamentos apreendidos pertencentes aos investigados.

CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

Comentários