Vila Velha/ES – A Polícia Federal deflagrou, nesta segunda-feira, 23/11, a segunda fase da Operação Chigago, com o objetivo de investigar o funcionamento ilegal de um clube de tiro.

Participam da operação 12 policiais federais para dar cumprimento a quatro mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão preventiva, expedidos pela Comarca de Águia Branca/ES. Dois dos mandados de busca e apreensão foram cumpridos no município de Vila Velha/ES, um na residência do empresário, que também foi preso, e outro em seu comércio de armas.

Além disso, foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão no município de Águia Branca/ES, sendo um no escritório da empresa e o outro no clube de tiro que funcionou ilegalmente.

Durante o cumprimento dos mandados de busca e apreensão, foram aprendidas três armas de fogo e 122 munições de calibres diversos.

 

ENTENDA O CASO

O empresário havia sido preso em 31/5/2020 após uma fiscalização conjunta do Exército Brasileiro e da Polícia Federal no clube que funcionava sem a devida autorização, inclusive com a realização de torneios de tiro. Ele estava respondendo a processo em liberdade, contudo perdeu a autorização de continuar administrando sua loja de comércio de armas e munições em Vila Velha.

Embora tenha saído do contrato social das suas empresas, continuou exercendo a atividade de comércio destes produtos controlados, sem possuir autorização do Exército.

 

CRIME INVESTIGADO

O investigado responderá pelo crime de comércio ilegal de arma de fogo, previsto no Artigo 17 da Lei 10.826 por cada posse irregular.

 

  

Comunicação Social da Polícia Federal no Espírito Santo
Telefone: (27) 3041-8051/8029 e (27) 9.9245-5616

Comentários