12/05/2017 07h50

Giuvan Barbosa tinha escapado de outro ataque em fevereiro

Correio do Estado

No Centro de Maracaju, hoje, suspeitos executaram o policial civil aposentado Giuvan de Oliveira Barbosa, de 52 anos. Ele foi atingido por vários disparos de pistola 9 milímetros. A vítima estava dentro de um comércio de veículos quando foi alvejado. Ninguém mais se feriu.

Os Bombeiros foram chamados e tentaram socorrer o homem, que não resistiu. Entre os tiros, ao menos um atingiu a cabeça da vítima. Houve ferimentos também nas costas e nos ombros. Armas de outros calibres, além de 9 milímetros, foram usados na execução.

O site Maracaju Speed informou que as Polícias Militar e Civil foram ao local do atentado e tentam levantar informações. Os suspeitos estariam em um utilitário pequeno branco com rodas pretas.

Em fevereiro deste ano, Barbosa foi alvo de outro ataque e conseguiu escapar. Ele chegou a ser atingido por cinco tiros de fuzil quando estava na frente da casa onde morava. Dessa vez, dois homens em um Uno aproximaram do policial civil aposentado e começaram a atirar. Ele estava em uma caminhonete e conseguiu sair pela porta do passageiro. As munições encontradas naquela época era de armamento calibre .762.

No começo do ano, o aposentado contou às autoridades que vinha recebendo ameaças de morte. Elas eram feitas por meio do telefone. A Polícia Civil não divulgou o que teria motivado essas ameaças e estava investigando a ocorrência desde 11 de fevereiro.

Giuvan de Oliveira Barbosa foi morto depois de atentado no Centro de Maracaju - Foto: WhatsApp/Correio do Estado

Comentários