08/07/2014 06h10

Vizinhos, no entanto, comentaram que o policial apresentava sinais de depressão

Campograndenews

A Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros foram até na casa do investigador Allan Martia, 33 anos, que foi encontrado morto por volta das 14h de ontem segunda-feira (7). Os primeiros indícios indicam para suicídio, o segundo caso na Polícia de Mato Grosso do Sul em quatro dias.

Allan morava sozinho e foi encontrado enforcado na Rua do Policial, no Conjunto Arnaldo Estevão Figueiredo, na saída para Três Lagoas. Amigos e familiares ficaram surpreso porque ele não apresentava sinais de depressão. “Estou triste, era uma pessoa alegre e brincalhona”, comentou um policial.

Natural de Presidente Epitácio (SP), ele é concursado e ingressou na Polícia Civil como investigador judiciário em 1º de fevereiro de 2006. Era solteiro, mas tinha namorada, segundo amigos.

Vizinhos, no entanto, comentaram que o policial apresentava sinais de depressão. Contudo, ninguém quis falar com a reportagem.

Allan era lotado no setor de escolta da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro.

Outro caso – Este é o segundo caso de suicídio de policial civil. No dia 3, Bruno Leandro da Silva, 32, foi encontrado morto em Fátima do Sul, a 246 quilômetros da Capital.

Ele era casado e estava na Polícia Civil há oito anos. Bruno estava lotado na Delegacia de Atendimento à Mulher de Fátima do Sul. O corpo estava com sinal de tiro de revólver na cabeça. O corpo estava do lado da motocicleta na Ilha Sol.

Allan morava sozinho e foi encontrado em sua casa (Foto: Marcelo Victor)

Foto de Allan que foi encontrado morto na tarde de ontem segunda-feira (7). (Foto: Divulgação)

Comentários