4.3 C
Ponta Porã
quinta-feira, 19 de maio, 2022
InícioPolíticaPonta Porã: Vereador acusa Sanesul de estar prestando péssimo serviço à população

Ponta Porã: Vereador acusa Sanesul de estar prestando péssimo serviço à população

A empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul, Sanesul, empresa que atende a população de Ponta Porã com o serviço de entrega de água potável na maioria dos lares e serviço da coleta e tratamento de esgoto na zona urbana, está recebendo criticas nos quatro cantos da cidade, por deixar de cumprir  a sua parte no contrato, pois falta água em vários bairros de Ponta Porã e o que se vê nas redes sociais são muitas reclamações.

O vereador Cândido Gabinio, que foi reeleito para mais um mandato na próxima legislatura, usou da tribuna na sessão ordinária desta terça-feira (24), para criticar a Sanesul. Segundo ele a empresa presta um ‘péssimo serviço‘ para a população ao não entregar o precioso liquido nos lares da cidade.

“Venho aqui demonstrar a nossa insatisfação com a empresa que presta serviço a Sanesul, uma vergonha o que essa empresa tem feito, na falta de atendimento do seu serviço que é obrigação de prestar em nosso município. No dia 5 de março convocamos o gerente da empresa para estar vindo nessa casa, onde os 17 vereadores colocamos a insatisfação no atendimento que essa empresa tem  nos dado, e mais uma vez essa semana, assim como na semana passada  temos reclamações dos moradores, principalmente na região norte da cidade pela falta de água, nós não aguentamos mais, essa empresa tem nos envergonhado”, disse Candinho.

Ponta Porã: Vereador acusa Sanesul de estar prestando péssimo serviço à população
Vereador Candido Gabinio

Segundo o vereador Candinho, os moradores da cidade não merecem esse tipo de atendimento que a empresa vem dando a comunidade.

O vereador informou ainda que na época da reunião, a explicação da falta de água era uma bomba que tinha sido queimada no bairro Kamel Saad. Ele informou que foram até o local e viram que a bomba tinha sido queimada , fizeram uma troca  muito demorada.

“Hoje eu já não procuro mais a Sanesul, pois na época em que sai em defesa da população, fui criticado nas redes sociais por funcionários  da empresa prestadora de serviços, fiz denúncias a direção da empresa no estado que vários funcionários da empresa me desacataram nas redes sociais, por isso não quero mais conversa com a gerência local. Estarei encaminhando um documento direto ao governador para que tome providências contra essa empresa, é uma vergonha o serviço que vem sendo prestado em Ponta Porã”, disse Candidato Gabinio, que é vereador do PSDB, partido do Governador Reinaldo Azambuja.

A reportagem do site Pontaporainforma foi até a sede da Sanesul, mas o gerente regional da empresa Alyson Gomes da Fonseca, não estava no local. Em contato via whatsapp, o gerente informou estar fazendo uma visita técnica a um loteamento. ao ser questionado sobr as reclamações de falta de água, em um primeiro momento ele disse que todo sistema estava funcionando normalmente, mas que iria verificar.

Quanto aos  bairros em que houve reclamação, Alyson garantiu que no Residencial  Ponta Porã não estava faltando água, pois mora no bairro, e pediu que quando o morador reclamar tem que passar o nome da sua rua e o número da casa, para ver se não é um problema naquela região.

Quanto a falta de água na Ferroviário II, mais conhecida por Vila dos professores, disse que iria checar. Mais tarde, o gerente da empresa retornou o recado dizendo que na Vila dos professores foi descoberto um problema, era um registro e Macro que fica embaixo da terra,deram defeito  e estava obstruindo a passagem da água, o problema estava sendo  consertado, mas no meio do serviço aconteceu um acidente, mas já no final da tarde o problema foi consertado e por volta das 21 horas a água começou a encher as caixas na Vila dos Professores depois de 6 dias.

Conversando com algumas pessoas entendidas no assunto, existe a informação de que o governo do estado está querendo vender a empresa e para isso esta deixando a empresa se deteriorar para em seguida fazer a licitação e consequentemente vender a empresa, para o setor privado.

MAIS LIDAS