O canal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no YouTube contabilizou mais de 1,7 milhão de visualizações de usuários ao longo dos últimos 28 dias. O índice representa um aumento de 424% do número de acessos aos vídeos disponibilizados na plataforma. Ao todo, foram 887,1 mil visualizações a mais do que o fluxo normalmente registrado no canal.

Todas essas visualizações somadas garantiram ao canal do TSE mais de 22,2 mil horas de exibição. Tamanha exposição também refletiu no número de seguidores: nesses 28 dias, o perfil do Tribunal no YouTube ganhou 18,6 mil novos inscritos, 13 mil a mais do que o habitualmente registrado no mesmo período de tempo.

Agora, são 212 mil pessoas que acompanham os conteúdos produzidos pela equipe de Comunicação da Corte Eleitoral. Desde 20 de julho de 2010, data em que foi criado, o canal contabiliza mais de 24 milhões de visualizações.

Top 5

Com 423,8 mil acessos, o líder do ranking de visualizações nos últimos 28 dias foi o vídeo gravado pelo presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, para a campanha “Na urna eletrônica brasileira você pode confiar”. O conteúdo se firmou como o mais procurado entre os usuários que visitaram o perfil do Tribunal no canal.

Confira o vídeo gravado pelo ministro Luís Roberto Barroso.

Em segundo, terceiro e quarto lugares estão os vídeos que tratam das auditorias realizadas nas urnas eletrônicas traduzidos para o inglês (260,5 mil exibições), espanhol (175 mil) e francês (168,7 mil). Fechando o top 5 de materiais mais assistidos no YouTube do TSE, está o vídeo com o passo a passo de como tirar o primeiro título de eleitor pela internet, que teve 112,2 mil visitas.

Saiba como tirar o primeiro título eleitoral remotamente.

Palavras-chave

Os termos relacionados ao processo eleitoral brasileiro mais buscados na pesquisa do YouTube foram “na urna eletrônica você pode confiar” (tema da produção protagonizada pelo presidente da Corte Eleitoral), “TSE” e “Justiça Eleitoral”. Nos últimos 28 dias, os usuários também utilizaram as palavras-chave “Barroso urna eletrônica” e “TSE urna eletrônica”.

Redirecionamentos

A maior parte dos acessos (62,5%) ao material divulgado pelo TSE no YouTube veio do serviço de mensagens privadas pelo WhatsApp. O Portal do Tribunal ocupa o segundo lugar do ranking, com 7% dos redirecionamentos, sendo seguido pelo Twitter (3,3%) e pelo Facebook (3,2%). Em quinto lugar está o aplicativo Telegram, com 2,8% das visualizações.

Para mais conteúdos relacionados ao processo eleitoral e à segurança das urnas, inscreva-se no canal do TSE no YouTube.

BA/LC, DM

Fonte: TSE

Comentários