Ponta Porã, Quinta-feira, 20 de julho de 2017
11/07/2017 13h

Artigo: Para você que me chamou de Louco!

Por: Rosildo Barcellos

Divulgação: Dora Nunes
 
 

Veja

Não diga que a canção está perdida

Tenha fé em Deus, tenha fé na vida

Tente outra vez

Beba

Pois a água viva ainda está na fonte

Você tem dois pés para cruzar a ponte

Nada acabou

Tente

Levante sua mão sedenta e recomece a andar

Não pense que a cabeça agüenta se você parar,

Queira

Basta ser sincero e desejar profundo

Você será capaz de sacudir o mundo, vai

Tente outra vez

Tente E não diga que a vitória está perdida Se é de batalhas que se vive a vida Tente outra vez

Se ainda estivesse vivo, o cantor e compositor Raul Seixas (1945-1989) estaria completando neste 28 de junho mai um aniversário.Morreu em casa ouvindo música. Emtretanto, muitas reportagens frisaram num ponto: se Raul Seixas seria um caso de lucidez e inteligência aguçada, capaz de se expressar com um simbolismo mágico que remetia diretamente a temas e problemas de seu tempo histórico. Não podemos esquecer que a música tem um importante papel de estimulador de sensações e de resgate da memória.

Mas é importante ressaltar que a vida é feita de uma sucessão de fatos e de aprendizados Muita gente não sabe, mas Raul Seixas e Mauro Motta fizeram sucessos e apoiaram artistas que estavam começando, o que era uma forma de ter um respaldo financeiro. Foi o cãs de "Doce, doce amor" para o Jerry Adriani, e "Ainda queima a esperança" para Diana Assim juntando o seu conhecimento de Brasil, pois viajou muito com o pai, engenheiro da NOB e quando adolescente vizinho da embaixada americana de onde ouvia discos em primeira mão e lia muitos livros, além de ter sido produtor musical da CBS, foi desta forma amadurecendo internamente sendo levado a ver além das informações captadas pelos cinco sentidos, das experiências e realidades do mundo.. Quem procura descobrir o que está por detrás do véu da ignorância e responder às questões básicas - como "quem sou eu, quem criou esse mundo, qual o meu papel na sociedade e como me relaciono com os outros?" - tem,como Raul teve ,na Bhagavad Gita, respostas repletas de conhecimento, capazes de anular a sensação de insuficiência ou de separação e isolamento completo que, por vezes, invadem os nossos corações.

Para se ter um exemplo, quando jovem, Gandhi, que perdeu a sua mãe verdadeira enquanto criança, buscava consolo e sabedoria nas palavras dessa grande obra, tendo-a traduzido e comentado (do original em Sânscrito para, a sua língua natal, o Gujarati) numa série de palestras em 1926, que seriam publicadas, apenas quase 30 anos depois. Ou seja um dos livros mais lidos do mundo, claro, perdendo para a Bíblia que além de ser o mais vendido do mundo, e o mais lido, assim como, também é o mais relido.

Entrementes, para se entender melhor no capítulo XIII, Krishna, que durante o desenrolar do texto assume o papel de mestre, fala a Arjuna, seu discípulo, quais os valores fundamentais, para a compreensão de si mesmo como não separado do todo, como consciência além do corpo e da mente, ilimitado e pleno. Assim, se nós verificarmos os títulos das músicas da fase Raulzito as aflições do cotidiano em forma de versos e da fase Raul, poderemos encontrar Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás, Eu Também Vou Reclamar E,,,segundo declarações do próprio Raul, ele utilizava essa forma para que as pessoas que cantassem suas músicas, a fizessem na primeira pessoa. E na musica tente outra vez, as frases imperativas, que se bem entendidas, ajudariam a terminar com muitos tratamentos para depressão.

Numa cultura como a nossa que visivelmente tem priorizado reprimir a individualidade, em favor da massa, é muito mais importante que a pessoa aprenda a dizer Eu sou Eu, Eu Faço , Eu sou Capaz. Principalmente cantando , que é uma forma de se tornar feliz, de buscar a autoafirmação. Esta foi a intenção de Raul Seixas, que antes de tudo era alguém que entendia da essência da música e do sentimento humano, sabia da importância de Deus na vida as pessoas e tinha a convicção que o AMOR poderia quebrar as barreiras de credo, raça. religião, preconceitos, recursos financeiros e ser o caminho da felicidade e da paz.

*Articulista.

Envie seu Comentário