Ponta Porã, Quarta-feira, 25 de abril de 2018
12/09/2017 06h40

Frigorífico retoma atividades e dá emprego a 600 trabalhadores em Paranaíba

Além da unidade de Paranaíba, o grupo Marfrig mantém em atividade outra unidade no Estado, a de Porto Murtinho.

Portal MS
 
 

A semana começa mudando a rotina de centenas de famílias de Paranaíba. A reativação da planta do Frigorífico Marfrig no município devolveu o emprego a 600 trabalhadores. Eles compareceram cedo nesta segunda-feira (11) e, uniformizados, assistiram à rápida cerimônia de reinício das atividades de abate que trouxe ao Estado o CEO do Grupo Marfrig Global Foods, Martins Secco. E ouviram do executivo o agradecimento e reconhecimento pelos esforços para construir o que chamou de "momento de felicidade" após a dura decisão de fechar as portas. "Sem funcionários e pecuaristas a empresa não tem sentido", resumiu Martins Secco.

O secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, cumprimentou o empresário e parabenizou os funcionários e a cidade pelo importante investimento. Jaime frisou que os incentivos fiscais concedidos à empresa retornam à sociedade em forma de empregos e um futuro melhor para os 600 trabalhadores diretos e as centenas de pessoas que se beneficiam indiretamente de um empreendimento desse porte.

 
Secretário Jaime Verruck diz que abertura fortalece setor no mercado interno Secretário Jaime Verruck diz que abertura fortalece setor no mercado interno

"Reabrir um frigorífico nesse cenário é um fato muito importante. Para o município de Paranaíba nós tínhamos a preocupação em gerar empregos. E para o produtor rural uma opção de vender o seu boi aqui no município. Temos certeza que, dados aos incentivos que foram concedidos, o frigorífico vai ampliar suas atividades e chegar logo, logo à plena capacidade", disse o secretário.

A luta, agora, é recredenciar a planta para exportar carne. Antes de paralisar as atividades, em 2016, a unidade do Marfrig de Paranaíba vendia para a China, Hong Kong e Rússia. A capacidade diária de abate de 630 cabeças será alcançada gradativamente, assegura o gerente administrativo da empresa, Marcos Costa. Por enquanto, "até para testar os equipamentos", serão abatidos 100 animais/dia.

Para o prefeito de Paranaíba, Ronaldo Miziara, a data precisa ser comemorada sobretudo pelos trabalhadores que reconquistaram seus empregos. Mais de 90% do quadro atual é composto por antigos colaboradores que ficaram desempregados quando a planta foi fechada, em junho do ano passado, na época arrendada pelo grupo Total S.A. "Eu peço que vocês valorizem seus empregos, porque é muito importante ter um emprego na situação atual. Nós fizemos nossa parte, o governo deu todo apoio possível, a Marfrig fez o investimento necessário. Agora cabe a cada trabalhador defender seu emprego atuando de maneira comprometida", disse.

A cerimônia contou ainda com a presença do deputado estadual Beto Pereira, vice-prefeito de Paranaíba Elson Cesar Garcia, presidente do Sindicato Rural de Paranaíba Nilo Alves Ferraz, secretário municipal da Indústria e Comércio, Cláudio Agi; demais secretários, vereadores, empresários e representantes de entidades de classe, das polícias e outros órgãos e autarquias públicas.

Além da unidade de Paranaíba, o grupo Marfrig mantém em atividade outra unidade no Estado, a de Porto Murtinho, e tem feito importantes investimentos no país. Recentemente confirmou a reabertura das unidades de Ji-Paraná (RO) e Alegrete (RS), elevando para 16 o número de plantas em atividade em todo Brasil.

Envie seu Comentário