Ponta Porã, Sexta-feira, 19 de janeiro de 2018
18/08/2017 14h50

Irrigação por gotejamento aumenta 30% da produtividade na cebola

Sistema também garantiu redução nos custos com mão de obra na fazenda

Divulgação: Dora Nunes
 
 

Localizada na bacia do Rio São Francisco (PE), a plantação de cebola do produtor, Gilmar Freire, necessitava de gestão adequada na utilização de água. Mas, há cinco anos a decisão de adotar o sistema de irrigação por gotejamento modificou o controle do recurso natural na propriedade, potencializando a produtividade e trazendo ganhos na mão de obra.

Com o sistema automatizado de irrigação por gotejamento foi possível diminuir o tempo de aplicação da água e garantir que as plantas recebessem a quantidade ideal de nutrientes. "Conseguimos economizar água e mão de obra, pois a automatização reduziu o tempo de aplicação do recurso e diminuiu a necessidade de pessoal operando o sistema", diz.

Na plantação de cebola do produtor Freira, a utilização de irrigação e fertirrigação – que leva água e nutrientes diretamente na raiz da planta – garantiu ganho de 30% na produtividade da cebola, saindo de 45 sacas por hectare, para 65 sacas por hectare, em média, de cebola/ano.

A realidade é que muitos municípios brasileiros são assolados pela seca, especialmente no nordeste brasileiro – mas, não só. Nessas regiões, nas quais as chuvas são menos frequentes, produzir, seja qual for a cultura, é um grande desafio. E é nesse sentido que a irrigação por gotejamento se mostra como aliada na gestão do recurso natural e em ganho de produtividade.

A cebola é constituída por mais de 90% de água, por isso a irrigação bem manejada possibilita obtenção de bulbos uniformes e de melhor qualidade, além de viabilizar mais de um cultivo por ano. Embora a cultura seja sensível ao déficit hídrico, o excesso também é prejudicial, favorecendo a incidência de doenças e prejudicando a produção, portanto, o controle automatizado no fluxo de água é fundamental.

Além das vantagens visíveis que a irrigação por gotejamento trouxe a plantação, o produtor também relata a economia de tempo e mão de obra. "Antes precisávamos de mais pessoas para fazer o mesmo trabalho que hoje é todo automatizado e realizado com mais agilidade", conta.

Dado todos os benefícios, Freire destaca que obteve retorno do investimento logo no primeiro ano de adoção do sistema. "Apesar do custo inicial, hoje temos a facilidade da automação, além de ser uma tecnologia que exige baixa manutenção", ressalta. Segundo ele, a depender do tipo de cultura e região que está localizada a propriedade, é possível restituir o valor investido logo na primeira safra.

Pensando na economia de água, aumento de produtividade, rentabilidade ao produtor, a israelense Netafim oferece ao mercado soluções de irrigação inteligente, como o sistema de nutrirrigação[FS1] , no qual os nutrientes são aplicados juntamente à água[CJ2] diretamente nas raízes das plantas.

Envie seu Comentário