Ponta Porã, Segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018
22/01/2018 12h10

Com paralisia cerebral, jovem estudante de Anastácio se destaca na redação do Enem

Higor da Costa Yglesias, de 18 anos, tirou 760 na nota de redação do Exame Nacional do Ensino Médio

O Pantaneiro
 
 
Foto: Reprodução/Acervo Pessoal Foto: Reprodução/Acervo Pessoal

O jovem Higor da Costa Yglesias, de 18 anos, é morador de Anastácio-MS, estuda na EE Carlos Drummond de Andrade e teve uma média de 760 na Redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Esta poderia ser mais uma história comum de um bom aluno comum, caso o rapaz não tivesse paralisia cerebral e, portanto, enfrentado diversas dificuldades ao longo da vida.

A mãe, Angelita Gomes da Costa, entrou em contato com a redação do jornal "O Pantaneiro" e contou, de forma emocionante, toda a narrativa de superação do filho.

"Higor nasceu prematuro e, no sétimo dia de vida, teve uma parada respiratória. Desde então, ele luta pela vida. No ano passado, realizou duas cirurgias de emergência na Santa Casa de Campo Grande e faltou várias aulas, causando uma certa polêmica na escola, uma vez que alguns professores queriam reprová-lo pelo número de faltas, enquanto outros entendiam a situação. No fim das contas, ele estudou muito, passou e é meu maior motivo de orgulho", disse.

Ela explicou que o jovem não possui coordenação motora, mas é extremamente inteligente. "Ele teve uma nota bastante relevante, se observadas as dificuldades enfrentadas, tendo em vista que a prova aplicada a ele não se diferencia das demais", pontuou.

Angelita, que é mãe de outra jovem que também terminou o Ensino Médio em 2017, explicou que, nas demais notas, o jovem alcançou a maior média em Ciências da Natureza e suas Tecnologias, com 489,7 pontos, mas que a maior esperança é que a pontuação na Redação proporcione a possibilidade de ingresso na universidade. "Ele é muito merecedor, mas anda muito preocupado. O Higor é um jovem de muitos sonhos e eu ainda não sei o que vou fazer para ajudá-lo na faculdade, já que geralmente não há professor de apoio", falou, com certa preocupação.

Por fim, fica a torcida para que mais essa etapa na vida de Higor possa ser enfrentada de cabeça erguida. "Toda a força para enfrentar todos esses anos de dificuldade veio dele. Eu sou uma mãe muitíssimo orgulhosa do filho que tenho", finalizou.

Envie seu Comentário