Ponta Porã, Terça-feira, 23 de janeiro de 2018
26/10/2017 14h40

Feira de Ciência e Tecnologia do IFMS registra 94 trabalhos selecionados em Ponta Porã

Projeto do 8º ano da escola estadual Adê Marques vence na categoria

Portaldeponta
 
 
Professora Vera e os alunos do 8º ano da escola estadual Adê Marques Professora Vera e os alunos do 8º ano da escola estadual Adê Marques

Diovane Cesar*

O Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), realizou as feiras de ciência e tecnologia, de 16 a 21 de outubro de 2017 nos dez campus no estado.

Foram aprovados 673 projetos, o número é 2,5% maior do que o registrado no ano passado, quando foram apresentados 657 trabalhos.

O campus que mais teve trabalhos aprovados foi Campo Grande (Fecintec), com 122. Na sequência, aparecem Três Lagoas (Fecitel) com 105, Ponta Porã (Fecifron) 94 e Corumbá (Fecipan) com 80, seguidos por Coxim (Fecitecx) 55, Nova Andradina (Fecinova) 53, Aquidauana (Feciaq) e Naviraí (Fecinavi) 46 cada, Dourados (Fecinavi) 38 e Jardim (Fecioeste) 34.

Participaram estudantes e professores das redes pública e privada de ensino com projetos desenvolvidos nas áreas de Ciências Biológicas e da Saúde, Ciências Exatas e da Terra, Ciências Humanas Sociais Aplicadas e Linguística, Ciências Agrárias e Engenharias, e Multidisciplinar, para trabalhos com mais de uma área de conhecimento predominante.

Elas se destinam a estudantes do ensino fundamental (6º ao 9º ano), ensino médio e técnico integrado.

Com um tema bastante relevante, a professora Vera Claudie Macena da Escola Estadual Adê Marques em Ponta Porã, orientou os alunos do 8º ano B do ensino fundamental, que desenvolveram o projeto de reaproveitamento alimentar. O projeto foi premiado como o melhor do ensino fundamental e também como o melhor banner na Fecifron.

"objetivo do projeto é conscientizar a população que é possível reaproveitar aquilo que normalmente se joga no lixo com receitas saudáveis e nutritivas e desta forma conservar o meio ambiente gerando menos lixo" ressaltou Vera Claudie.

As atividades desenvolvidas em sala de aula foram através de um levantamento de hábitos saudáveis das famílias dos alunos envolvidos no projeto, foi realizado um levantamento dos alimentos da safra da época e pesquisas sobre o desperdício de alimentos no Brasil, atividades lúdicas e construção de pratos saudáveis tanto doce quanto salgado, mas sempre utilizando legumes, hortaliças e frutas da época de forma integral ou reutilizando cascas, talos, folhas e sementes, visto que são ricas em vitaminas, minerais e fibras.

De acordo com a Professora Vera, "a educação tem grande responsabilidade de sensibilizar a população a aproveitar os alimentos de forma integral, para que assim tenhamos menos dinheiro gasto e menos lixo acumulado, pequenas mudanças em nosso dia-a-dia pode transformar o meio em que vivemos e nosso alunos tem esse poder nas mãos, pois eles são multiplicadores do conhecimento" finalizou.

Envie seu Comentário