Ponta Porã, Sábado, 20 de janeiro de 2018
02/01/2018 07h50

Ex-presidente da FFMS e do Corumbaense entra na "briga" para que time jogue no Arthur Marinho

Empresário e pecuarista Alfredo Zamlutti Júnior afirmou que não vai medir esforços para que o time da cidade jogue no Arthur Marinho.

Por: Tião Prado
 
 
Foto: Diário Corumbaense Foto: Diário Corumbaense

O Corumbaense Futebol Clube e seus torcedores, ganharam na tarde deste domingo, 31 de dezembro, um reforço de peso. Diante da indefinição sobre a situação do estádio Arthur Marinho, que desde o dia 27 de dezembro passou a ser administrado pela LEC (Liga de Esportes de Corumbá) após o fim do convênio firmado em 2007 com a Prefeitura Municipal, o clube solicitou ajuda de um importante personagem do esporte sul-mato-grossense.

Trata-se do empresário e pecuarista Alfredo Zamlutti Júnior, que atualmente é presidente da Federação das Associações Empresariais de Mato Grosso do Sul (FAEMS). Zamlutti que tem grande influência em vários segmentos do Estado, é reconhecido pela contribuição e visibilidade que deu à Corumbá e ao esporte de MS enquanto esteve à frente da entidade máxima do futebol estadual.

Ao Diário Corumbaense, o empresário, que também já presidiu o "Carijó da Avenida" afirmou que não vai medir esforços para que o time da cidade jogue no Arthur Marinho. Amigo do presidente da FFMS, Francisco Cezário de Oliveira, Zamlutti explicou que se precisar, vai acionar sua assessoria jurídica para que o clube que ele considera um "patrimônio" do torcedor e da cidade, jogue em casa.

"Já fui presidente do Corumbaense, da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul e estou com o presidente Cezário do meu lado, falando com o Bosco (atual presidente do clube) e vamos resolver esse imbróglio. A minha posição é a seguinte: o Corumbaense vai jogar aí, quer a Liga queira, quer não. Se precisar medidas judiciais tomaremos junto com o presidente da Federação. O Corumbaense é um patrimônio da cidade, do torcedor e esse torcedor não pode ficar na mão de dirigente de Liga. Tomaremos todas as medidas judiciais necessárias, já falamos com o prefeito, já estamos com advogados contratados e vamos realmente resolver o problema, inclusive vamos ver a situação legal da Liga", afirmou.

O pecuarista tranquilizou os torcedores e adiantou que no dia 03, quarta-feira, deve vir a Corumbá, provavelmente com o presidente da FFMS para anunciar as medidas a serem tomadas.

"A pedido do prefeito Marcelo Iunes estou reunido com o Cezário, meu amigo, meu companheiro no futebol e vamos resolver isso aí. O torcedor pode ficar tranquilo. No dia 03 temos uma entrevista coletiva na Prefeitura porque já estou chegando aí com várias medidas", adiantou a este Diário.

Reação

O pedido de apoio ao pecuarista é uma reação do clube após a indefinição sobre a situação do estádio Arthur Marinho. Faltando 20 dias para o primeiro jogo do Corumbaense em 2018, contra o Ceilândia-DF pela Copa Verde, o "Carijó da Avenida" ainda não sabe se vai conseguir mandar seus jogos no único estádio da cidade.

Na manhã deste domingo, o clube informou que não houve acordo durante a negociação sobre a administração da praça esportiva em parceria com a LEC. Segundo o Corumbaense, proposta foi entregue à diretoria, entretanto, o presidente da Liga, Leôncio Raldes, disse que não conseguiu reunir os membros para discutir os pontos propostos e isso também não poderia ocorrer nesta segunda-feira, porque é "feriado". Raldes informou ainda que vai viajar no dia 02 e só retorna no dia 09 de janeiro. Na visão do Corumbaense, a situação demonstra falta de interesse da LEC e por isso, a diretoria vai seguir outra linha de atuação.

De acordo com o presidente, Luiz Bosco Delgado, em prol do bem coletivo e pelo fato de não haver mais tempo hábil para esperar por uma posição da LEC, o clube também vai solicitar à Prefeitura de Corumbá, que sejam tomadas medidas judiciais para que a praça esportiva seja retomada diante da "incapacidade financeira" da Liga de Esportes.

A Prefeitura encerrou o convênio que manteve com a LEC por dez anos, por causa de impedimento legal, conforme a lei federal número 13.019/2014 e havia feito pedido formal para a doação do estádio ao Município. Mas, a LEC negou.

Além da Copa Verde, o Corumbaense, campeão estadual de 2017, vai disputar a Copa do Brasil e o Brasileiro da Série D.

Envie seu Comentário