Ponta Porã, Quinta-feira, 19 de abril de 2018
04/12/2017 15h20

Bombeiro que roubou caminhão e foi interceptado na Esplanada continua preso.

Corregedoria tem 20 dias para investigar, mas pode pedir prorrogação.

Mídia Max
 
 

O 2º sargento do Corpo de Bombeiros Fabrício Marcos de Araújo, de 44 anos, continua preso após ter roubado um caminhão da corporação e ter partido em direção ao Congresso Nacional na madrugada de domingo. Segundo nota dos órgãos de segurança do Distrito Federal, a corregedoria tem 20 dias para concluir a apuração do caso, podendo pedir prorrogação por igual período. Araújo foi submetido neste domingo a audiência de custódia no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) e a prisão foi mantida.

O veículo conduzido por Araújo foi interceptado por viaturas da Polícia Militar e do próprio Corpo de Bombeiros na altura do Ministério do Planejamento. Ele foi enquadrado nos crimes de furto qualificado, desobediência, danos ao material da administração militar e tentativa de dano, previstos no Código Penal Militar. Ele está preso no 19º Batalhão da Polícia Militar, presídio localizado dentro do Complexo da Papuda.

"O procedimento está a cargo da Corregedoria do Corpo de Bombeiros do DF e tem prazo de 20 dias para ser concluído, sendo possível a prorrogação por igual período caso haja necessidade de mais detalhes na apuração. O laudo pericial, que está sendo produzido pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), será anexado ao inquérito", informou a nota assinada pela Secretaria de Segurança, Corpo de Bombeiros e as Polícias Civil e Militar.

Após a conclusão do inquérito, o caso será remetido para o Ministério Público Militar. Caso Araújo venha a ser denunciado, ele responderá junto à Auditoria Militar do TJDFT. O Corpo de Bombeiros informou que uma equipe de "médicos, psicólogos e religiosos" está prestando acompanhamento a Araújo e seus familiares

Envie seu Comentário