Ponta Porã, Terça-feira, 28 de março de 2017
08/01/2017 07h30

"Laka" recebe Juti com problemas, mas diz estar otimista

A principal divida herdada pela sua gestão é com a empresa Sanesul

Agazetanews
 
 
A prefeita de Juti, Elizângela Biazotti, a “Laka”. Apesar dos obstáculos iniciais, as perspectivas são de superação, avalia ela. (Foto: Vilson Nascimento) A prefeita de Juti, Elizângela Biazotti, a “Laka”. Apesar dos obstáculos iniciais, as perspectivas são de superação, avalia ela. (Foto: Vilson Nascimento)

Já na primeira semana de sua administração a prefeita de Juti, Elizângela Martins Biazotti, a "Laka", juntamente com sua equipe de governo, levantou uma série de problemas que o município enfrenta, principalmente no que diz respeito à logística e estabeleceu metas à serem alcançadas.

Um dos primeiros passos da nova administração municipal foi restabelecer a limpeza da cidade, que segundo a prefeita, não era realizada há longa data.

Laka ressaltou o que aponta como "estado precário", que encontrou os maquinários da Prefeitura e diversos outros problemas, como mau estado de conservação de prédios públicos e buracos nas ruas, entre outros obstáculos.

De acordo a prefeita a gestão anterior deixou quitado o décimo terceiro salário e a folha de pagamento dos servidores municipais, mas por outro lado a gestão atual herdou dívidas, entre elas uma superior a R$ 170 mil com a Sanesul, empresa de capital misto, que tem a concessão para o fornecimento de água no município.

Laka também demostrou preocupação em relação ao transporte escolar, que começa no mês que vem (fevereiro), tendo em vista a falta de manutenção dos ônibus, preocupação em relação ao escoamento da safra que também já está próxima e, segundo ela, a Prefeitura não dispõe de maquinários para realizar a manutenção das estradas rurais e a preocupação também com um possível surto de dengue na cidade, tendo em vista a falta de campanhas preventivas em períodos anteriores.

Apesar dos obstáculos a prefeita se diz otimista. "A população me deu esse voto de confiança e eu, com muita responsabilidade, vou fazer a diferença. Não vou fazer milagres, mas vou buscar resolver os problemas um por um. Não vou aceitar ser somente uma síndica, só colocar a casa em ordem, nós vamos projetar um futuro para nossa cidade", disse ela.

Envie seu Comentário