Ponta Porã, Quinta-feira, 19 de abril de 2018
23/12/2017 06h30

Reinaldo Azambuja afirma governar com responsabilidade e para as futuras gerações

Governador apresenta também balanço das ações deste ano e detalha investimentos para 2018.

Portal do MS
 
 
Foto: Chico Ribeiro Foto: Chico Ribeiro

A continuidade de um governo responsável com entregas que beneficiam toda a sociedade e medidas estruturais que preparam Mato Grosso do Sul para as futuras gerações foi assegurada pelo governador Reinaldo Azambuja, em mensagem de fim de ano destinada à população sul-mato-grossense.

Em vídeo divulgado nas redes sociais, o governador destaca o desempenho da economia de MS mesmo no cenário de crise pelo qual o País passou. "Aqui, no Mato Grosso do Sul, está sendo diferente", enfatizou. E elenca áreas prioritárias como saúde, segurança, educação e infraestrutura cujos investimentos seguem em andamento para 2018. Confira abaixo a íntegra da mensagem:

"Minhas amigas e meus amigos, na medida em que se aproxima mais um final de ano, estou aqui para cumprir o meu dever de prestar contas. Quem acompanhou, sabe: estamos terminando um ano muito difícil, o mais difícil dos últimos tempos. Pelo Brasil afora, só problemas. Temos visto a incapacidade de outros estados de cumprir mesmo os compromissos mais básicos, como salários e 13º de seus servidores. Aqui, no Mato Grosso do Sul, está sendo diferente.

Sem deixar de enfrentar os desafios e fazendo o que precisa ser feito com responsabilidade, pagamos a folha em dia e agora o 13º. Contando dezembro, 13º e janeiro, estaremos injetando na economia do Estado mais de R$ 1,5 bilhão. Além de garantir um fim de ano tranquilo para nossos servidores e suas famílias, vamos aquecer a economia. Tudo isso só foi possível porque governamos o tempo todo com responsabilidade e pensando nas pessoas. Para dar conta da crise e ainda investir, reduzimos o tamanho do estado, os cargos de confiança, os contratados e o custeio. E hoje somos, ao lado de Goiás, o estado com o menor número de secretarias do País.

Estabelecemos, pela primeira vez na nossa história, um teto para os gastos públicos. Agora, nenhum dos Poderes pode gastar mais do que se arrecada no Mato Grosso do Sul. Em seguida, fizemos uma necessária revisão tributaria, ajustando os impostos estaduais sobre supérfluos; e da política de incentivos que culminou na criação do fundo de estabilização fiscal. Por isso, somos o 3º estado em solidez fiscal no País.

Enfrentamos com coragem a reforma da previdência estadual, que deveria ter sido feita há muito tempo. Eu não poderia me omitir. Tudo isso, aliás, foi feito com máxima transparência. É bom lembrar que éramos o penúltimo estado neste requisito e hoje temos nota máxima. Somos nota 10 em transparência no Brasil. Mato Grosso do Sul é hoje o quinto estado em competitividade e o segundo que mais atrai investimentos privados no país.

Por consequência, somos o terceiro estado que mais gera empregos no Brasil. Por tudo isso, nossa economia cresceu mais que o dobro da média nacional. Os desafios ainda são grandes, olhem só: Vamos continuar o processo de regionalização da saúde, construindo os hospitais regionais de Três Lagoas e Dourados, concluindo o Hospital do Trauma em Campo Grande, habilitando os hospitais como os de Coxim, Ponta Porã e Jardim, e reformando toda a Santa Casa de Corumbá.

Na educação, vamos nos dedicar à correta preparação no novo Ensino Médio e concentrar nossos esforços na melhoria qualidade do ensino em sala de aula, o Ideb. Na segurança, os primeiros indicadores de criminalidade começaram a cair, resultado do programa MS Mais Seguro e de todo o investimento que fizemos em pessoal e em equipamentos. Na área de obras, vamos entregar 532 grandes obras que estão em andamento nas 79 cidades do nosso Estado. Portanto, temos muita coisa para fazer.

Quero deixar aqui uma mensagem final para cada um de vocês. Aprendi a encarar as críticas e incompreensões com paciência e espírito público-democrático. É um custo pessoal que assumi para fazer o que precisa ser feito, e eu vou sempre fazer o que for preciso. Não esperem de mim enrolação, demagogia e politicagem.

Vou continuar governando com máxima responsabilidade, pensando no Estado, no nosso povo e nas futuras gerações. E não na próxima eleição. Eu tenho fé que o pior já passou e vejo com muita esperança os próximos anos que virão. Quero desejar a vocês um Feliz Natal e um Ano Novo repleto de conquistas e alegrias. Um forte abraço e que Deus nos abençoe".

Envie seu Comentário