Ponta Porã, Terça-feira, 23 de janeiro de 2018
30/12/2017 09h

Vidente prevê 2018 como ano de muitos confrontos no mundo

O vidente prevê um ano intenso, com muitos problemas financeiros e denúncias na política, mas considera que será um bom período para a cidade para vencer desafios, em que a educação será um destaque.

Douradosagora
 
 
Fabio Sheridon faz previsões para 2018, ano que considerou da sensibilidade
foto - Elvio Lopes Fabio Sheridon faz previsões para 2018, ano que considerou da sensibilidade
foto - Elvio Lopes

Dezenas de pessoas, grande parte da classe política, foram presas em operações policiais, no País, no Estado e em Dourados; intensidade dos confrontos e atentados terroristas em vários países deram o tom de uma nova guerra mundial; artistas sul-mato-grossenses que se destacaram no cenário nacional; problemas na saúde e, como destaque positivo, o ranking de Mato Grosso do Sul com um canteiro de obras e ideal para investimentos e se viver e o presidente Michel Temer não caiu, mas o ano não ainda não terminou e ele teve que se afastar duas vezes de seus afazeres por conta de problemas de saúde.

Essas foram algumas das previsões para 2017 do vidente Fabio Sheridon, um gaúcho de 50 anos de idade e que há 28 anos trabalha com vidência, numerologia, tarô e bruxarias e publicadas em O Progresso e no DouradosAgora, no final deste ano. Ele aceitou pela segunda vez o convite do jornal e faz novas previsões para 2018, que se inicia na segunda-feira, classificando-o como "ano da sensibilidade", com a continuidade dos confrontos bélicos, mas bom para a saúde e as artes e favorecimento do amor.

Fábio Sheridon atende sempre um numeroso público, em seu escritório-residência, na Vila Rita Vieira onde, como vidente, lê cartas e faz previsões para o futuro e, como bruxo, realiza trabalhos para abrir caminhos às pessoas que o procuram, celebra a purificação e busca meios para ascender seus clientes a situações de melhorias na vida.

O vidente é natural de Rio Grande (RS), estudou as cartas, tarô e outros instrumentos que utiliza em seus trabalho durante 16 anos; tem sido constantemente convidado para entrevistas e previsões em programas televisivos na Capital.

AS PREVISÕES

O ano da sensibilidade, segundo o vidente, terá regência pelo número mestre 11, que trará muita inspiração e reconhecimento de fama aos que se fizerem merecedores, "que realizarem ações por merecer isso". Em contraposição com o número 1 diante do número 1, ele afirma que isso significa muitos confrontos, que a guerra que começou de forma mundial em 2017 vai se intensificar ainda mais no próximo ano, em franca evolução.

BRASIL

Será um ano bom para a saúde e as artes no Brasil e também um ano das águas, embora o sistema nervoso mereça cuidados especiais, já que o clima será intenso, com chuvas constantes e por isso esse aspecto prossegue sendo um problema global. "O amor será favorecido, como não acontece há seis anos e o dinheiro é bom, mas necessário ser um pescador de grandes redes que trabalhe dia e noite por seus sonhos, porque este ano favorece novos projetos financeiros", destaca Sheridon. O Brasil e Campo Grande estarão sob a regência do número 9, ou seja, um ano purificador. Para o Brasil, mais faxina, mais limpeza na política.

O ESTADO

Como 2018 é um ano de disputas políticas, o vidente prevê que "as águas vão levar o antigo na política, proporcionando uma grande renovação no Mato Grosso do Sul e será difícil a manutenção do atual governo", mas que, nas artes, o Estado se destacará na música, colocando mais intérpretes no cenário nacional e nas artes visuais e cênicas, os artistas receberão muito apoio em 2018.

CAPITAL

Sobre Campo Grande, o vidente explica sob a regência do número 9 no ano que vem, que poderá registrar acontecimentos marcantes, principalmente no setor de saúde. "Poderemos vivenciar uma tragédia ou epidemia com caráter purificador na Capital", alerta Sheridon.

DOURADOS

Para Dourados, que viverá sob a energia do número 7, o vidente prevê um ano intenso, com muitos problemas financeiros e denúncias na política, mas considera que será um bom período para a cidade para vencer desafios, em que a educação será um destaque. "Há muita energia no ar na cidade e que trará tensões e conflitos, então, as pessoas devem ser da paz e usar mais azul, uma cor que simboliza a harmonia", recomenda Fabio Sheridon.

Com a leitura dos búzios, o vidente alerta que o ano de 2018 se resume a uma palavra: fé. "Quem tem fé, viverá; que não tem, sobreviverá", destaca.

SIMPATIA

Encerrando suas previsões, o vidente explica que a melhor simpatia para a virada do ano é amarrar uma fita amarela com três voltas e três nós no pulso esquerdo e volta a recomendar o uso de muito azul em 2018, "para atrair as energias positivas", concluiu.

O vidente Fabio Sheridon atende diariamente em seu escritório-residência, à Rua Josué Pereira Ferreira, 490, no Bairro Rita Vieira e atende pelos telefones (67) 3306-9796 e 99263-9776.

Envie seu Comentário