Ponta Porã, Domingo, 21 de janeiro de 2018
08/12/2017 18h20

Dia D de combate ao Aedes em Campo Grande tem 5 t de pneus e 4 caminhões de resíduos coletados.

Durante a semana foram coletados vários materiais e nesta sexta-feira (8) foi encerrado o piloto do projeto ‘Cidade Limpa’.

G1MS
 
 
Resíduos recolhidos durante a semana em bairro com maior incidência do mosquito em Campo Grande (MS) (Foto: Sesau/Divulgação). Resíduos recolhidos durante a semana em bairro com maior incidência do mosquito em Campo Grande (MS) (Foto: Sesau/Divulgação).

O Dia D de combate ao Aedes aegypti em Campo Grande coincidiu com encerramento da fase piloto do projeto "Cidade Limpa", nesta sexta-feira (8), que recolheu cinco toneladas de pneus e quatro caminhões de resíduos de grande volume.

Durante a semana foram recolhidos vários materiais em locais próximos ao ponto de coleta no bairro Jardim Noroeste. Os agentes comunitários de Saúde e de Endemias visitaram casas e comércios da região para orientar e pedir a colaboração da população no combate ao mosquito.

De acordo com o último Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LiRaa), a região do Jardim Noroeste apresentou a maior incidência do mosquito, com um índice de 7% dos imóveis visitados com focos positivos.

As campanhas educativas com as novas tecnologias têm se mostrado eficiente no combate ao mosquito Aedes Aegypti, que transmite a dengue, zika vírus e a febre chikungunya. Segundo o secretário municipal de Saúde Marcelo Luiz Brandão Vilela, o clima tropical deixa o ambiente adequado para a proliferação constante.

Tecnologia contra Aedes

Neste ano, o município utilizou um drone para sobrevoar, inicialmente, os prédios públicos para identificar focos do mosquito e auxiliar no trabalho de bloqueio. Posteriormente, o equipamento passou a ser usado em locais de difícil acesso como coberturas de prédios, casas fechadas e terrenos abandonados.

A partir do ano que vem, a intenção é agregar o aparelho também às ações de bloqueio, fazendo a utilização também na pulverização de larvicida em locais inacessíveis aos agentes.

Estado

Mato Grosso do Sulestá com média incidência da dengue, segundo o boletim epidemiológico da Secretaria do Estado de Saúde (SES), divulgado nesta sexta-feira. O equilíbrio acontece porque são 14 municípios na zona vermelha, incluindo Três Lagoas, Corumbá e Bonito, e 30 com baixa incidência da doença.

O restante, ou seja, 35 cidades, está na faixa de 100 a 300 casos de dengue para cada 100 mil habitantes. Neste ano, foram registradas três mortes: Aquidauana, Camapuã e Cassilândia.

Envie seu Comentário