Secretário estadual de Infraestrutura, Eduardo Riedel, destacou o adiamento da entrega do Aquário do Pantanal — Foto: Graziela Rezende/G1 MS

A fala do secretário estadual de Infraestrutura, Eduardo Riedel, apresenta uma divergência entre aquilo que o Governo do estado havia divulgado no início deste ano.

O Aquário do Pantanal não deve ser entregue em dezembro de 2021, como havia sido divulgado pelo Governo de Mato Grosso do Sul, no início deste ano. O cenário, onde a obra milionária estará de portas abertas à população foi adiado, mais uma vez. O secretário estadual de Infraestrutura, Eduardo Riedel, disse que a atração deve ser finalizada apenas no primeiro semestre de 2022.

O secretário foi questionado pela equipe do G1 sobre as obras do Aquário do Pantanal durante a cerimônia de posse de terras a assentados, em Terenos (MS), que contou com a participação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), nesta sexta-feira (14).

“Estamos lidando com uma licitação mais complicada [licitação que teve que ser refeita no início de 2021]e acho difícil terminar [a obra] neste ano de 2021. Acredito que em março ou abril do ano que vem. A gente vai trabalhar para isso”, apontou Riedel.

A promessa do Governo do estado prevê que o Aquário do Pantanal conte com, ao menos, 12 mil animais da ictiofauna pantaneira (peixes, invertebrados, répteis e mamíferos) que vão habitar os 32 tanques (24 internos e oito externos) da estrutura. Além disso, pretendem utilizar 5,4 milhões de litros de água e um sistema de suporte à vida com condições reais do habitat.

Aquário do Pantanal deve ser entregue só no primeiro semestre de 2022, diz secretário
Justiça de MS chegou a fazer vistoria no local, antes da pandemia da Covid — Foto: Edmar Melo

Em março de 2021, o Aquário do Pantanal apresentava as seguintes estruturas de execução:

– Seis frentes em execução – Impermeabilização e Cenografia dos Tanques, PCMAT (Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho), Climatização, Estrutura Metálica (Passarela) e Revestimento de Alumínio Composto – ACM (Forro e Monocapa), essa última já quase finalizada;

– Duas frentes concluídas – Substituição dos Vidros e Cobertura Metálica;

– Uma em processo de contratação – Civil;

– Três com licitações em andamento – Sistema de Suporte à Vida (SSV), Elétrica e Automação.

Bolsonaro em MS

Aquário do Pantanal deve ser entregue só no primeiro semestre de 2022, diz secretário
Bolsonaro entregou cerca de 2.100 títulos de terra a assentados em Mato Grosso do Sul — Foto: Ingrid Santana/Arquivo pessoal

Em cerimônia na manhã desta sexta-feira (14), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) entregou cerca de 2.100 títulos de terra a mais de 300 famílias que vivem no assentamento Santa Mônica, localizado no município de Terenos (MS), vizinho da capital Campo Grande.

O avião com Bolsonaro pousou às 9h36 em Campo Grande e o presidente foi de helicóptero até Terenos (MS).

Além do presidente, participaram do ato a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, o secretário especial de Assuntos Fundiários, Nabhan Garcia, e o presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Geraldo Melo Filho.

A viabilização dos títulos é de responsabilidade que cabe à pasta dirigida por Tereza Cristina.

Bolsonaro recebeu dos agricultores uma cesta com cachaça, rapadura, melado, pimentão, banana-prata, pepino, laranja, limão e abobrinha. Além do presidente, a ministra Tereza Cristina também recebeu os produtos.

Para o agricultor Ademir de Jesus Pereira, de 57 anos, atualmente, o pedaço de terra oficializado é “tudo o que eu sonhava”.

“Agora tenho um pedaço de terra e, com ele, posso fazer tudo o que eu sonhar. Para ter um lote a gente depende do Incra para fazer e, quando pegamos esse título, somos os proprietários da nossa propriedade”, enfatizou o assentado.

Fonte G1 MS

Comentários