source
Criança no celular
Pexels

Criança no celular

Durante o último ano,  adultos e crianças passaram a se comunicar muito mais através de redes sociais com o objetivo de evitar aglomerações. Sendo assim, trabalhamos, estudamos e nos relacionamos através de aplicativos.

Mas a partir de que idade as crianças podem entrar em aplicativos de comunicação como o WhatsApp?

Segundo o próprio aplicativo, no Brasil a idade é de 13 anos, ou seja, na hora de efetuar o cadastro é necessário informar a data de nascimento. Se o seu filho tem menos de 13 anos e ja está participando dessa rede social, ele teve que mentir a data de nascimento, cometendo assim falsidade ideológica.

Mas, não é disso que trataremos aqui, e sim com qual idade a criança pode participar de redes sociais como essa, de maneira que não seja prejudicial a ela mesma.

Cada vez mais cedo as crianças estão ganhando celulares com funções de smartphone, geralmente por causa da tranquilidade dos pais. Desta maneira, eles podem manter contato com os filhos a qualquer momento, mas quando você dá um aparelho celular para o seu filho, você abre para ele uma porta parao mundo. Então, certifique-se que seu filho esta preparado para isso.

Os perigos que envolvem as crianças no WhatsApp são inúmeros, como falta de privacidade que esse aplicativo dá a quem o utiliza – as mensagens são criptografadas, mas os dados de utilização são colhidos pelo aplicativo – nesse caso desde pequenas as crianças ja começam a ser monitoradas pelas redes sociais.

Outros perigos podem ser nominados:

Você viu?

– A criança pode estar falando com uma pessoa que não é aquela que ela está pensando que é. Aceitar pessoas desconhecidas em um grupo pode trazer para dentro todo tipo de pessoa e não somente crianças com os mesmos interesses que seu filho.

– Sofrer golpes financeiros: grande parte de golpes financeiros virtuais ocorrem através do WhatsApp. Uma criança não tem discernimento para saber que tipo de informação pode ou não fornecer.

– Bullying: o aplicativo é muito utilizado para fazer e receber bullying. A criança deve estar ciente que jamais pode postar algo sobre alguém que ela não possa falar pessoalmente.

– Fotos, vídeos e dados pessoais postados ficam para sempre.

Tudo citado acima também são riscos para adultos, mas eles estão mais preparados e têm mais maturidade para entender os riscos envolvidos.

Mesmo se seu filho que utiliza essa rede social tenha sorte de não cair em golpes, o WhatsApp ainda pode ser terrivelmente prejudicial a ele. Basta uma imagem de algo que ele não compreende, um vídeo impróprio, um áudio invasivo que isso pode ficar gravado em seu inconsciente sem que ele sequer perceba, e retornar de formas inesperadas, como medos, fobias, distúrbios e vários outros.

Avise a criança sobre os perigos, utilize aplicativos de controle parental, verifique o que seu filho está fazendo na internet, tenha a senha do celular dele e converse sobre o que o mundo virtual realmente representa.

Procure estabelecer com seu filho uma relação de diálogo e confiança ainda pequeno. Essas relações são difíceis de constituir na adolescência, época em que as crianças começam a tentar entender quem elas são e não querem interferência dos pais para isso.

Existem motivos para que a censura do WhatsApp seja de 13 anos, como existem motivos para censura de músicas, filmes e programas na TV e no cinema. Procure respeitar esses limites, isso fará bem ao seu filho.

Fonte: IG Mulher

Comentários