Ponta Porã, Segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018
25/01/2018 06h40

Governo autoriza implantação da primeira usina de produção de energia com biomassa de eucalipto

Esse é o primeiro grande empreendimento da Eldorado Brasil após a venda de 49,4% das ações da empresa à Paper Excellence.

Portal do Brasil
 
 
Foto: Divulgação Foto: Divulgação

O secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, entregou nesta quarta-feira (24.1) a Licença Prévia autorizando estudos para implantar a Usina Termelétrica Onça Pintada, no município de Selvíria, com capacidade de 50MW e que vai operar a partir de biomassa de eucalipto. O empreendimento é da Eldorado Brasil, estimado em R$ 320 milhões e deve gerar 1 mil empregos diretos e indiretos na fase de instalação.

O coordenador de Sustentabilidade da Eldorado Brasil, Fábio José de Paula, assegura que até o segundo semestre os estudos necessários já tenham sido concluídos e começa a implantação da termelétrica. A entrada em operação deve ocorrer em 2021. Portanto, a Onça Pintada será a primeira usina geradora de energia a partir de biomassa de eucalipto a entrar em operação em Mato Grosso do Sul, fato que inaugura uma nova fase na silvicultura estadual. Na reunião com o secretário, Fábio estava acompanhado do especialista em Sustentabilidade Fernando Alex do Nascimento.

"Esse projeto é extremamente importante na linha de uso alternativo da madeira. É importante para a base de diversificação de uso dos restos florestais, como folhas, raízes, cascas, demais subprodutos da madeira que não serve para produzir celulose. É o primeiro grande projeto em vias de instalação a partir de biomassa de eucalipto no Estado", comemora Jaime Verruck. Biomassa

A biomassa se transforma em energia a partir da combustão de material orgânico. É uma maneira bastante limpa de produção energética e de enorme ganho ambiental, considerando que todo este material provocaria algum tipo de impacto à natureza ao se decompor.

O coordenador de Sustentabilidade da Eldorado Brasil elogiou a agilidade e presteza dos técnicos do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), órgão ambiental ligado à Semagro, na análise e aprovação dos projetos encaminhados pela empresa para novos empreendimentos e ampliações. "Temos sido muito bem recebidos e obtivemos respostas rápidas, o que é fundamental para o empreendedor", disse.

Em dezembro passado, o jornal Valor Econômico divulgou estudo da Consultoria AFranco Partners que coloca Mato Grosso do Sul em segundo lugar no ranking nacional que avalia as práticas e a agilidade na liberação de licenciamento ambiental para empreendimentos empresariais no país. O estudo mapeou processos de governos estaduais na área ambiental e e criou o indicador chamado Índice de Qualidade do Licenciamento Ambiental (IQL). Mato Grosso do Sul obteve 17 pontos no índice, atrás apenas da Bahia que ficou com 18 pontos. Mais duas

A Eldorado Brasil está avaliando o mercado de energia e pode vir a instalar mais duas termelétricas em Selvíria: Tuiuiu e Sucuri, cada qual com capacidade de 50 MW. Antes, precisa participar do leilão da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), mas de qualquer forma a Licença Prévia já autoriza os estudos para as três térmicas.

Esse é o primeiro grande empreendimento da Eldorado Brasil após a venda de 49,4% das ações da empresa à Paper Excellence, multinacional holandesa com sete usinas de transformação de celulose no Canadá e duas na França. O negócio foi fechado em outubro do ano passado. A Eldorado Brasil fechou o ano com recorde na produção de celulose, ultrapassando 1,7 milhão de toneladas, mas tem projeto de ampliação para chegar a 4,2 milhões/ton/ano. Atualmente trabalham na empresa 3,8 mil pessoas, entre funcionários diretos e terceirizados.

Envie seu Comentário